Magé: isolamento social não é respeitado

De acordo com o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS), a melhor forma de prevenção no combate ao coronavírus é o isolamento social voluntário. Mas, na última semana a população mageense foi às ruas, formou filas e aglomerações, descumprindo as determinações de um decreto municipal. A Secretaria de Ordem Pública recebeu denúncias relatando o descumprimento das medidas de prevenção citadas no decreto, e realizou abordagens nas ruas para que a população cumpra com o distanciamento exigido.

De acordo com o secretário de Ordem Pública, Everson Moraes, são recebidas diariamente cerca de 350 denúncias através dos números de WhatsApp. O secretário também pede a colaboração e compreensão da população durante essa pandemia.

“Estamos sempre pedindo para a população fique em casa. Nós entendemos que cada um tem seu problema, mas não é hora disso. Está na hora de atendermos a Organização Mundial da Saúde, estamos vendo muitos casos e mortes por conta do coronavírus. E estamos muito preocupados com a vida e com a saúde da população”, explicou o secretário de Ordem Pública, Everson Moraes.

“Recebemos muitas denúncias de comércios abertos, e estamos trabalhando em cima disso. Agora à tarde notificamos uma loja que estava em funcionamento, mas ela pode vender online e realizar as entregas na porta da loja. Vale dizer que nós precisamos da compreensão da população, que a população nos ajude nesse momento e fique em casa. Ou sair somente em casos extremamente necessários”, finalizou o secretário.

Mesmo na fila do banco, o professor Viller Catarato disse que estava seguindo às orientações, e utilizando a máscara e álcool gel.

“Acho o uso da máscara essencial porque nós não sabemos quem está contaminado ou não, então é uma forma de se precaver. Hoje, tive que sair com a minha mãe para receber o pagamento dela. Tendo em vista que muitos locais estão com aglomerações, como medida preventiva resolvemos colocar a máscara e trouxe o álcool gel também”, contou o professor.

O acompanhante de idoso, Anderson Vicente precisou ir ao banco, mas seguiu às orientações sobre o distanciamento social e se afastou da aglomeração.

“Preferi vir para a praça porque lá no banco está muito aglomerado, e pra gente evitar o contato com as pessoas eu vim pra cá”, afirmou.

A técnica de enfermagem Zenilda Martins estava utilizando a máscara e contou sobre a importância do uso ao sair de casa.

“Ao conversar, as pessoas podem despejar saliva na gente e nos contaminar. Temos que tentar o isolamento social para que não aconteça nada com a gente assim como aconteceu nas outras cidades e países”, afirmou a dona Zenilda.

A Secretaria de Ordem Pública recebe denúncias através de mensagens pelo WhatsApp: (21) 98914-0073 ou (21) 98473-7710.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + nove =