Lula dá recado para Bolsonaro e Moro, em evento no Caminho Niemeyer

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve em Niterói na tarde deste sábado (26), no Caminho Niemeyer, para a celebração do centenário do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), que foi fundado na cidade, em 1922. Ao lado de várias lideranças políticas, entre eles os pré-candidatos ao governo do Estado, Marcelo Freixo (PSB) e Rodrigo Neves (PDT), na primeira fileira, assim como o deputado federal Alessandro Molon (PSB), a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB), o governador e a vice governador do estado de Pernambuco, Paulo Câmara (PCdoB) e Luciana Santos, que também é presidente nacional do partido. Além disso, a presidente nacional do PT, Gleise Hoffman, estava no local.

O prefeito Axel Grael era aguardado no evento, mas por causa de um procedimento médico, Neves o substituiu como representante de Niterói. Vereadores do PCdoB de Niterói também foram assíduos ao evento, como Walkiria Nictheroy, e Leonardo Giordano, parlamentar licenciado por ser secretário de Cultura.

Pré-candidato a presidência da República, Lula chegou às 15h48 no local, cercado de muita expectativa e clamor dos partidários de esquerda. No entanto, foi o último palestrante da celebração. Entre gritos de apoio dos partidários de esquerda que encheram o Caminho Niemeyer, o ex-presidente foi recebido por muitos aplausos, e contou com atenção máxima do público em seu discurso. O ex-presidente relembrou os bons momentos dos oito anos que o país ficaram sobre o seu governo.

Contudo, não deixou de alfinetar o presidente Jair Bolsonaro, assim como o ex-procurador do Ministério Público do Paraná, e candidato à Câmara dos Deputados federal, Deltan Dallagnol, e o ex-juiz Sérgio Moro. Durante a semana, Deltan foi condenado a pagar uma indenização à Lula, no valor de R$ 75 mil reais, por causa da coletiva de imprensa do Power Point.

“Eu percebi que depois de participar de todas as campanhas para presidente, menos a de 2018, que me tiraram o direito quando me prenderam, se o povo brasileiro quiser, um preto, um índio, uma mulher e um metalúrgico será eleito. Se eu voltar, eu vou ter que fazer mais e melhor do que já fiz. E para isso temos que construir uma soberania nacional. (Sobre Bolsonaro) E se ele conhecer um pouco de história, pode mentir uma, duas, três vezes, mas não dá para enganar 230 milhões de brasileiros”, expôs Lula que ainda provocou Dallagnol, que arrecadou mais do que o valor da pena, e o ex-presidente que poderá ser utilizado para o pagamento.

Antes da fala do presidenciável, Manuela Dávila, que foi vice na chapa de Fernando Haddad (PT), em 2018, externou e formalizou o apoio do PCdoB para a candidatura de Lula, e garantiu o apoio dos filiados do partido e dos militantes, que eram maioria entre o público presente.

A programação do Festival Vermelho, que comemora o centenário do PCdoB, iniciou na sexta feira (25) com atividades culturais, e seguiu a programação na mesma toada, após os discursos políticos que visam as eleições deste ano, que ocorrem em outubro. Na noite de encerramento, no sábado (26), ocorreu muito samba na Arena Brasil, lançamento de livros na Arena Manifesto. A partir das 21h, teve os shows programados pelo evento: Mulheres da Roda de Samba, Candongueiro e Moaçy Luz, com o Samba do Trabalhador, e Leci Brandão, encerram o evento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.