Lixo do Rio deixa praias de Niterói impróprias para banho

Aline Balbino

Das 14 praias que são analisadas semanalmente pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), nove estão impróprias para banho e cinco estão aptas a receber banhistas. Dentre as praias que não podem receber banhistas estão Gragoatá, Boa Viagem, Flechas, Icaraí (em frente à Pedra de Itapuca e em frente à Praça Getúlio Vargas), São Francisco, Charitas, Jurujuba, Eva, Itaipu (em frente ao número 21).

Muitos banhistas estão perdidos com relação à balneabilidade das praias niteroienses, já que faltam placas informativas. As poucas existentes estão desatualizadas. Quem caminha ou até mergulha em Icaraí reclama também da falta de banheiros. Frequentadores sugerem a instalação também de lixeiras.

“Eu acho que poderiam investir na instalação de banheiros por aqui. Já vimos pessoas urinando na praia, na areia, atrás dos quiosques. Sem contar a quantidade de lixo. Eu mergulho quando está calor, mas não aconselho ninguém a fazer isso”, disse o quiosqueiro Tácito Araripe.
O aposentado Carlos Drummond pediu ainda mais segurança na Praia de Icaraí.

A Águas de Niterói, concessionária responsável pelo fornecimento de água e tratamento de esgoto, tem canalizado e tratado todo o esgotamento sanitário de Niterói, a fim de eliminar impactos na natureza. No entanto, o lixo oriundo das praias do Rio de Janeiro ainda é um problema. Eventualmente, as praias de Icaraí, São Francisco e Charitas amanhecem abarrotadas de lixo. O sistema de coleta e tratamento de esgoto de Niterói é composto por oito estações, atingindo a importante marca de 90% do efluente coletado e tratado no município.

De acordo com a bióloga marinha Camille Leal, banhar-se em águas contaminadas pode causar diversos problemas à saúde principalmente pelo ingestão desta água contaminada ou pelo contato destas com regiões mucosas do corpo (olhos, nariz, bocas).

“Dentre os problemas acusados por essas águas contaminadas estão a gastroenterite, disenteria, enjoo ou até doenças mais graves como cólera, hepatite A e febre tifoide”, disse.

A Prefeitura de Niterói informou que aguarda liberação de recursos do Ministério do Turismo para construção de Postos de Salvamento nas praias, que prevê banheiros e infraestrutura para os guarda-vidas e para turistas em toda a orla da cidade e Região Oceânica. Este projeto está há mais de um ano no Ministério do Turismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =