Livros foram as estrelas do verão

O verão vai sair de cena domingo, dia 20, mas não vai ser esquecida pelo mercado editorial brasileiro. Segundo o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), o setor faturou R$258,78 milhões, o que equivale a uma alta de 22,5 0%, se comparado a janeiro de 2021. As expectativas são que os leitores continuem vorazes. A TRIBUNA traz a lista dos livros mais vendidos em Niterói durante a estação mais quente do ano.

‘Torto Arado’, de Itamar Vieira Júnior, continua sendo o número um na Livraria Travessa, em Icaraí. O sucesso começou quando o livro ganhou o Prêmio Leya, em 2018, e conquistou 100 mil euros. Depois, estouro de vendas na pandemia quando o romance conquistou os brasileiros.

A obra ‘Tudo é Rio’ também segue no topo da lista, o livro de estreia da Carla Madeira apresenta uma narrativa madura e poética. Conta a história do casal Dalva e Venâncio, que tem a vida transformada após uma perda trágica, resultado do ciúme doentio do marido, e de Lucy, a prostituta mais depravada e cobiçada da cidade, que entra no caminho deles, formando um triângulo amoroso.

Na orelha do livro, Martha Medeiros escreve: “Tudo é rio é uma obra-prima, e não há exagero no que afirmo. É daqueles livros que, ao ser terminado, dá vontade de começar de novo, no mesmo instante, desta vez para se demorar em cada linha, saborear cada frase, deixar-se abraçar pela poesia da prosa.”

‘Pra vida toda valer a pena viver: Pequeno manual para envelhecer com alegria’, livro da médica Ana Cláudia Arantes já tem mais de 300 mil livros vendidos e tem interessado aos leitores que tem vontade de construir uma boa velhice. A autora também conquista o top 10 de livros mais vendidos com ‘A morte é um dia que vale a pena viver’, em que ela quebra tabus ao falar sobre morte e buscar um novo olhar para a vida.

‘Violeta’, da escritora chilena Isabel Allende, foi lançado em janeiro deste ano e narra a história de uma mulher determinada e independente que testemunhou todo o auge do século XX. É um retrato que reflete no mundo atual, pois a protagonista nasce durante uma pandemia e morre em outra.

‘É assim que acaba’, de Colleen Hoover, é considerado o romance mais pessoal da carreira da autora. O livro discute temas como violência doméstica e abuso psicológico de forma sensível e direta.

Outro livro que é uma nova entrada dos mais vendidos é ‘A Biblioteca da Meia-Noite’, do romancista inglês Matt Haig. A obra é um romance que trata sobre viagem no tempo e possibilidades viver em diversos mundos literários, o sonho de todo leitor.

Bell Hooks, autora, professora, teórica feminista, artista e ativista antirracista estadunidense lançou no ano passado o livro Tudo sobre o amor: novas perspectivas que tem atraído muitos leitores. Este é o primeiro livro da Trilogia do Amor, em que ela busca elucidar o que é, de fato, o amor, seja nas relações familiares, românticas e de amizade ou na vivência religiosa.

Ambientada no Japão, “Uma rosa só’ de Muriel Barbery, em seu novo romance, a autora de A elegância do ouriço constrói uma narrativa emocionante sobre amor e autodescoberta, ambientada nas paisagens de Kyoto.

A autora do best-seller ‘A bailarina de Auschwitz’, que teve mais de 50.000 exemplares vendidos no Brasil, lançou outro sucesso chamado ‘A liberdade é uma escolha’. Na obra ela vai abordar lições práticas e inspiradoras para ajudar ao leitor se libertar de suas prisões mentais.

“Com o sucesso do primeiro livro, muitos leitores pediram um guia com dicas práticas da terapia que apliquei em minha própria vida e no trabalho clínico que desenvolvi com meus pacientes. A liberdade é uma escolha veio para cumprir este papel.” disse Edith Eva Eger.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.