Levantamento alerta para sirenes desligadas em áreas de risco

Raquel Morais

Um levantamento feito pelo Instituto de Educação e Pesquisa (IEP), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), apontou que 12 municípios fluminenses estão sem funcionamento do sistema de alerta de sirenes. Niterói e São Gonçalo estão nessa listagem. A administração municipal de São Gonçalo confirmou que as 25 sirenes estão desligadas há cinco meses. Já o órgão de Niterói garantiu que 27 locais estão com 100% de funcionamento do sistema de alerta e alarme.

A Prefeitura de Niterói ressaltou que assumiu a manutenção das sirenes quando o Governo do Estado informou que não manteria mais o funcionamento dos equipamentos. Em nota o executivo reforçou que está sendo feito um novo levantamento sobre às moradias localizadas em áreas de risco, com prazo de conclusão estimado para março de 2017.

Já São Gonçalo possui 25 sirenes em localidades como Arsenal, Engenho Pequeno e Jardim Catarina, por exemplo, projeto parte do programa de Proteção e Preparação de Comunidades contra Desastres Naturais no Estado do Rio de Janeiro. A Prefeitura de São Gonçalo ainda informou que o Governo do Estado não repassa a verba há cinco meses e por isso os equipamentos estão desligados. A Secretaria de Estado de Defesa Civil (Sedec) foi procurada, mas até o fechamento dessa edição não se manifestou sobre o assunto.

A pesquisa, feita em parceria com a superintendência operacional da Defesa Civil do Estado, analisou 17 cidades que são consideradas vulneráveis principalmente por conta de ações naturais, como chuva forte,principalmente no período do verão. Além de Niterói e São Gonçalo entraram na listagem: Areal, Angra dos Reis, Barra Mansa, Barra do Piraí, Bom Jardim, Cachoeiras de Macacu, Duque de Caxias, Magé, Mangaratiba, Nova Friburgo, Petrópolis, Queimados, Rio de Janeiro, São João de Meriti e Teresópolis. E segundo o relatório apenas Nova Friburgo, Petrópolis, Teresópolis, Bom Jardim e Rio de Janeiro estão com os dispositivos funcionando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *