Lei de mudança de cor é aprovada e táxis de Niterói serão pretos

O Projeto de Lei nº 372/2021 foi aprovado durante sessão plenária na Câmara Municipal na última quinta-feira (11), e sancionado na sexta-feira (12) pelo prefeito em exercício, Paulo Bagueira. A normativa autoriza a mudança da cor azul dos táxis da cidade, do ‘azul báltico’ para a cor ouro negro @70. A alteração é uma reivindicação antiga dos taxistas que conseguiram apoio, através do Sindicato dos Taxistas de Niterói (SindTaxi), para a autorização da mudança em forma de Lei.

Ao todo a cidade de Niterói tem 1.906 taxistas divididos entre sete cooperativas, 15 associações e os convencionais (que não se filiam a nenhuma das duas). A cor ‘azul báltico’ não existe de fábrica, então os taxistas precisam mandar pintar o veículo nessa cor específica, o que gera um custo adicional em torno de R$ 1.500 a R$ 3 mil.

“Estamos trabalhando em conjunto com a categoria pela melhoria e modernização dessa atividade crucial no município.  Em breve, o poder público anunciará novas medidas que vão ao encontro do que deseja a categoria e, principalmente, oferecendo mais conforto à população usuária do serviço de táxi”, disse Bagueira.

O taxista Emerson Nunes, 66 anos, tem 35 anos ‘de praça’ e aprovou a medida. “O meu carro era cinza e eu pintei ele para o azul e gastei quase R$ 3 mil nessa mudança. Eu gostei muito desse projeto e acho que realmente o preto é uma cor básica, assim como branco. Por mim poderia ser qualquer uma dessas cores”, contou.

Colega de ponto, em Icaraí, Victor Gomes de 26 anos, é de família de taxistas e também desembolsou R$ 2.700 para pintar seu carro branco para o azul há cinco anos. “Eu comecei a estudar e tive que trabalhar como taxista para poder fazer meu horário e conseguir fazer a minha faculdade. Acho que a cor preta é ótima e já conseguimos comprar o carro pintado. Não podemos esquecer que a gente também gasta para pintar se quiser vender o carro ou trocar”, frisou.

Cláudio Dias, 64 anos, disse estar surpreso com o andamento desse projeto. “Esse assunto é tão antigo que eu nem acredito que está sendo realmente tirado do papel. Quando eu trocar de carro não vou mais precisar mais me preocupar com a cor. Isso é muito bom”, finalizou.

A Prefeitura de Niterói conformou que o taxista terá 10 anos para se adaptar nessa troca e o tempo é justamente o que a prefeitura de Niterói exige como tempo de vida útil para o ‘carro da praça’. A lei foi sancionada na presença do vereador Andrigo de Carvalho, líder do governo na Câmara e autor do projeto, da vereadora Walkiria Nichteroy, do vereador Folha e do secretário Geral do SindTaxi, Rodrigo Lopes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − 4 =