Legionário, artista plástico, cidadão da Terra

A vida de Marcelo Augusto Bonfá, de 57 anos, tem sido de surpresa atrás de surpresa. Assim foi quando foi chamado por Renato Russo (1960-1996) para juntos iniciarem a Legião Urbana, em 1982, banda que se tornaria quarteto com as entradas do guitarrista Dado Villa-Lobos e do baixista Renato Rocha (1961-2015) e fenômeno do rock nacional nos anos de 1980.

Passados 40 anos, Bonfá, que conversou com A TRIBUNA, revela uma nova faceta e apresenta ao público uma mostra virtual dedicada às artes plásticas na plataforma Kickoff Music – especializada em blockchain – e apresenta 12 ilustrações híbridas com 10 cópias para cada uma delas na coleção de NFTs (sigla usada para tokens não fungíveis que significa obras digitais únicas e insubstituíveis).

“Meu avô materno era um artista autodidata e se tornou engenheiro civil, o irmão dele era também um artista inventor, acho que herdei da família. Isso em mim, vem desde sempre. Meus cadernos de colégio sempre tiveram mais desenhos do que qualquer outra coisa”, recordou e lembra que foi o curador da própria exposição.

Impulsionado por gênios da pintura expressionista, surrealista, impressionista como Michelangelo, Da Vinci, Rembrandt, Picasso, Monet, Miró, Cézanne, Klee, Pollock, Basquiat, Banksy e pelos grafiteiros, cartunistas, arquitetos, e uma infinidade de novos artistas em todos os estilos e épocas, Bonfá diz que só agora decidiu mostrar a veia artística e pluralidade como artista plástico: “Tenho projetos arquitetônicos e paisagísticos que realizei em minhas casas. Antes disso, fiz alguns storyboard para alguns vídeo clipes da Legião Urbana a titulo de diversão. Ilustrei um livro infantil com 11 anos que acabou nunca publicado e nem sei onde está isso. Pintei telas em acrílico, pastel, fiz muitos rabisco e joguei muita coisa fora”, revelou.

Mas engana-se quem acha que a arte do ex-baterista da mais influente banda nacional de rock é coisa de agora, como ele próprio afirma: “O CD é uma coisa que veio matar a arte gráfica dos artistas, pois no LP havia capa, contracapa, encartes e até pôsteres. Temos hoje uma infinidade de possibilidades na internet. Mas tenho desenhos espalhados pelos álbuns da minha banda, como no encarte da Legião Urbana, primeiro disco, no Que País É Este, de 1987, na capa e contracapa de Musica Para Acampamento, de 1992, e no Uma Outra Estação, de 1997”, contou.

E aos fãs saudosos da Legião Urbana, ele diz como uma obra dele acabou indo parar na capa do álbum Música Para Acampamento: “Um dia estávamos no estdio trabalhando as musicas deste álbum e quando terminei minha parte na bateria fui pra casa desenhar. Voltei no dia seguinte com alguns desenhos e mostrei para o Renato. Ele gostou de dois e falou: “Musica Para Acampamento!”. Antes disso nunca havíamos falado sobre o nome que daríamos ao álbum que estávamos produzindo, ou seja, o meu desenho o inspirou a retirar deles o nome do álbum”, diz.

Sobre o póstumo Uma Outra Estação, o músico diz que decidiu experimentar na aquarela, coisa que nunca havia feito antes. O resultado foram algumas telas sobre Brasília: “Fiz também os personagens que estão estampados em todos os CD’s da Legião Urbana remasterizados no Abbey Road Studios, pois estive lá com o Dado fazendo este trabalho e me inspirei na clássica foto do Beatles atravessando a Rua Abbey, em Londres”, destaca.

Sobre a mostra virtual, Bonfá volta no tempo e diz como tudo começou: “Eu uso computação gráfica desde que inventaram essa geringonça e depois fui para a Apple, já no início dos anos de 1990. Com o advento do NFT, foi possível conferir autenticidade e exclusividade nas minhas obras.Comecei a pesquisar este novo meio e vi que seria uma boa oportunidade de fazer uma exposição e vende-las. Por esse motivo, resolvi vender as telas em arquivos de alta resolução para serem impressas da forma que a pessoa quiser. Então temos três produtos a venda: NFT’s,arquivos em alta e também entrego na casa das pessoas as telas ja impressas”, finalizou convidando o internauta a viajar na galeria no Metaverso pela plataforma Spatial e ter uma experiência virtual para apreciar todas as telas.

O processo de criação do inesquecível baterista da Legião Urbana e agora artista plástico Marcelo Bonfá, ele mesmo define: “São telas abstratas que refletem meu estado de espírito”.

Caso tenha interesse de obter uma obra de Marcelo Bonfá, basta visitar a galeria virtual:

https://spatial.io/s/Marcelo-Bonfa-Digital-Art-gallery-624ca4bb99cecf0001da74f4?share=1505242494101084211

Para comprar é necessário solicitar pelo link: http://kickoff.market/marcelo-bonfa/

Texto: Marcos Vinicius Cabral

Fotos: Marcelo Bonfá

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.