Lava Jato: PF procura acusados de ajudarem doleiro no Rio, SP, e na fronteira

Desde as primeiras horas da manhã dessa terça-feira (19) agentes da Polícia Federal estão nas ruas, nos estados do Rio, São Paulo, e Mato Grosso, além da fronteira com o Paraguai, em mais uma etapa da Operação Lava Jato – denominada Operação Patrón – com objetivo de localizar e cumprir Mandados de Prisão e de Busca e Apreensão contra suspeitos de serem cúmplices do doleiro Dario Messer, conhecido como “doleiro dos doleiros”, e de ajudaram a ocultar patrimônio e fugir do país. Uma pessoa foi presa em São Paulo e o ex-presidente do Paraguai, Horácio Cartes, também é um dos alvos da operação, com Mandado de Prisão expedido pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio, através do juiz Marcelo Bretas.

Messer estava foragido desde maio de 2018, quando foi deflagrada a Operação Câmbio Desligo. A investigação descobriu que doleiros movimentaram US$ 1,6 bilhões em 52 países. Em espanhol, o termo Patrón (patrão) era como Dario Messer se referia a Horácio Cartes, já que o ex-presidente do Paraguai é amigo da família do doleiro. Pela manhã, o também doleiro Najun Azario Flato Turner, foi preso em São Paulo. Foram expedidos 37 mandados judiciais para o Rio, Búzios (Região do Lagos), São Paulo e Ponta Porã (MS), na fronteira com o Paraguai, sendo 16 Mandados de Prisão Preventiva, 3 de Prisão Temporária, e 18 de Busca e Apreensão. Um dos Mandados de Prisão foi cumprido num prédio de alto padrão, em Copacabana, Zona Sul, contra a Miriam de Oliveira Ataíde, noiva de Dario Messer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *