Exame para detecção do coronavírus já pode ser feito em laboratórios particulares

A possibilidade de um surto do coronavírus no Estado do Rio de Janeiro está implicando na mudança de comportamento das pessoas. Agora, os laboratórios de exames de sangue estão sendo alvo da procura pelos testes para diagnóstico da doença. Na Região Metropolitana esse exame é feito somente de forma particular por dois laboratórios, e algumas empresas já estão no processo de desenvolvimento do procedimento para atender a demanda. Enquanto o exame não é disponibilizado em larga escala a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) também está nessa corrida e a previsão é que em meados do mês sejam distribuídos 10 mil testes em 14 estados para acelerar os resultados da doença, com estimativa de produção total de 30 mil testes.

O Laboratório Sérgio Franco, do Grupo Dasa, já está realizando o teste, que somente é feito com pedido médico, através da coleta domiciliar com agendamento prévio e equipe exclusiva. Como é uma doença nova os planos de saúde não cobrem o exame e custa R$ 280 com resultado disponível em até 24 horas.

“A letalidade do Coronavírus não é considerada muito alta, mas o vírus tem rápida capacidade de contágio. Por isso, impedir a propagação é uma estratégia fundamental para evitarmos o cenário epidêmico”, explicou Emerson Gasparetto, vice-presidente da área médica da Dasa, que disponibiliza o teste desde o último dia 28.

O mesmo procedimento domiciliar está sendo realizado pelo Laboratório Bittar.

“Não podemos colher no laboratório por questões de contaminações e também não realizamos o teste sem o pedido médico. Temos que seguir o protocolo e a equipe vai na casa do paciente realizar o teste”, contou a médica patologista clínica Christina Bittar.

O Grupo Fleury, que tem o Laboratório Labs a+ em Niterói, lançou desde o dia 14 de fevereiro, um teste para detectar o coronavírus. Mas na unidade ainda não está sendo realizado o teste. Segundo nota, o exame, desenvolvido pela área de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa em apenas uma semana, será disponibilizado nos hospitais parceiros do Grupo Fleury nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal. Por se tratar de uma infecção respiratória, o diagnóstico do novo coronavírus é feito a partir de uma amostra de raspado (swab) de nasofaringe, isto é, material obtido da mucosa do fundo do nariz com uma haste flexível.

Além dos testes a corrida para compra de máscaras e álcool em gel continua e as prateleiras estão vazias desses dois equipamentos de proteção. Especialistas reforçam a importância da higiene pessoal com a limpeza das mãos com água e sabão, além de evitar contato com olhos, boca e nariz.

FIOCRUZ

De acordo com Fiocruz, os 14 estados que vão receber os testes são: Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Amazonas, Pará, Roraima, Bahia, Ceará, Pernambuco, Sergipe, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

“Nós vamos trabalhar nessas duas semanas, ao mesmo tempo na produção dos kits e também no treinamento de todos os laboratórios. Estamos trabalhando juntos com foco no diagnóstico”, contou a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + 16 =