Justiça ordena que Gabriel Monteiro retire vídeos onde acusa comandante de batalhão da PM por contravenção

A Justiça determinou que o ex-PM, influenciador digital e vereador do Rio Gabriel Monteiro exclua de seu canal no Youtube três vídeos onde acusa o comandante do Batalhão de Copacabana (19º BPM), Coronel Luciano de Vasconcelos, de ter relações com a contravenção. Segundo a decisão da magistrada Luciana Santos Teixeira, o conteúdo publicado extrapola a liberdade de expressão por cometer imputação criminal sem ter nenhum tipo de denúncia, inquérito ou investigação em andamento contra o oficial da Polícia Militar.

A decisão foi assinada em 2 de julho e também afirma que Monteiro e o Google são obrigados a deletar, em 24 horas, os vídeos todas as plataformas do atual político após a intimação da ordem. Caso Monteiro não cumpra a determinação, pode pagar multa de R$ 500 por dia. Até o momento da publicação desta matéria, o vídeo seguia no ar no canal dele. Além disso, o conteúdo esta na página oficial de Monteiro no Facebook e com publicação fixada.

O conteúdo ao qual a decisão da Justiça se refere é o que contém os seguintes títulos: ‘Combati a corrupção na PM e a máfia! Operação Policial!’, no dia primeiro, ‘Flagrei PMs corruptos, resgate de vítimas!’, no dia 14, e ‘Corrupção da PM me venceu, desistindo!!!! Absurdo!’.

Os vídeos provariam, de acordo com Monteiro, a existência de um bingo clandestino em Copacabana. E em todos eles, segundo a justiça, o vereador se refere de maneira direta e indireta contra Vasconcelos, com “acusações bastante claras” de que o comandante do batalhão de Copacabana seja corrupto e que tem envolvimento com a contravenção.

Na quinta-feira (1º), o ex-PM desabafou no Twitter a respeito de uma provável perseguição que sofre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − quatro =