Justiça nega quebra de sigilo bancário de Flordelis e Anderson

A Justiça rejeitou pedido feito pela assistência de acusação para que o sigilo bancário da ex-deputada federal Flordelis dos Santos de Souza fosse quebrado. A solicitação também pedia a quebra do sigilo do pastor Anderson do carmo, esposo da ex-parlamentar, morto em junho de 2019, e do Ministério Flordelis, igreja evangélica que era mantida pelo casal.

A assistência de acusação no processo que apura a morte do líder religioso atualmente é representada por Cláudia Maria Rodrigues de Souza, irmã de Anderson, após a morte do pai dele, Jorge de Souza. A decisão na qual foi publicada a recusa foi assinada pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, titular da 3ª Vara Criminal de Niterói.

“Indefiro a quebra do sigilo bancário da ré Flordelis dos Santos de Souza, da vítima Anderson do Carmo de Souza e da igreja Ministério Flordelis, requerida pela assistência, considerado não ter restada devidamente justificada e fundamentada sua relevância no contexto dos autos, ou a necessidade do pedido”, afirmou a magistrada.

Flordelis está presa desde o dia 13 de agosto do ano passado, acusada de ser a mandante da morte do marido. Outras cerca de dez pessoas, entre filhos, uma neta e dois conhecidos, também respondem pelo crime e aguardam julgamento. Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cézar dos Santos de Souza, primeiros presos por envolvimento no caso, já foram condenados pelo crime.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.