JUSTIÇA MARCA AUDIÊNCIA DO PREFEITO DE BÚZIOS PARA O DIA 28

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro marcou para o dia 28 de junho, uma segunda-feira, às 4h30, a audiência do prefeito de Búzios, Alexandre Martins, no processo que investiga um suposto crime de abuso de poder econômico na última eleição municipal. A sessão vai acontecer na primeira vara judicial do município. Esta fase do processo será
destinada para ouvir testemunhas em uma oitiva.


O motivo do julgamento se deve a uma acusação contra Martins por um episódio ocorrido no dia 30 de outubro do ano passado. Na ocasião, fiscais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) foram até o comitê que seria pertencente a ele depois de receberem uma denúncia anônima. Ainda segundo a denúncia, o candidato estaria distribuindo dinheiro a eleitores em frente a uma loja. Uma equipe de fiscalização foi até o endereço e encontrou, de acordo com os fiscais,
pessoas usando roupas com as cores usadas pelo candidato durante a campanha do mesmo. Sem se identificarem,
os fiscais entraram no local e puderam ver uma distribuição de dinheiro. Foi então que os agentes se identificaram e realizaram buscas.

Também durante a operação, uma das pessoas presentes no local, segundo a denúncia, teria sentado em um envelope que continha a quantia de R$ 3.600 na tentativa de esconder o valor da fiscalização. Foram apreendidos também no local 63 contratos de prestação de serviços remunerados por prazo determinado para fins de campanha eleitoral todos em branco, documentos relacionados a campanha eleitoral, panfletos (alguns deles com CNPJ inelegível), colete também sem o CNPJ e com o nome e o número do candidato dentre outros itens.


Na ocasião, os envolvidos foram encaminhados para a sede do Cartório Eleitoral da área para esclarecimentos
e afirmaram que uma reunião tinha sido marcada através de um aplicativo e por ligação e que os valores encontrados seriam para o pagamento de cabos eleitorais que prestariam serviços a campanha sendo outros voluntários. Ainda naquela época, Alexandre Martins afirmou em uma live que as acusações eram ataques de adversários
políticos. Ele também declarou que o valor apreendido era um pouco menor ao que constava na denúncia,
R$ 2.200, e que pertencia a uma pessoa citada no relatório.

O jornal A Tribuna tentou contato com o prefeito, mas não obteve retorno. Já o advogado de Alexandre
Martins, Pedro Corrêa Canellas, informou que a defesa do foi apresentada nos autos e que tem a “convicção
de que a ação será, ao final da instrução, julgada improcedente”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 1 =