Justiça determina troca no comando do Podemos em Niterói e partido deve apoiar Axel Grael

A juíza titular da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, Flavia de Almeida Viveiros de Castro, deferiu o pedido de Aldemar Tadeu Costa Furtado para ser reincorporado ao comando do diretório municipal do Podemos em Niterói. O processo foi movido por Aldemar contra a Comissão Provisória Estadual do partido, representada pelo senador Romário, que o teria destituído do Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias e excluído o seu registro. A decisão judicial pode representar uma mudança significativa no quadro eleitoral da cidade, pois Aldemar já afirmou que vai apoiar a candidatura de Axel Grael (PDT) e convocar uma nova convenção. Com isso, o delegado federal Antonio Rayol, até então pré-candidato ficaria fora da disputa.

Houve contestação da parte ré de que Aldemar Tadeu sequer seria filiado ao partido e que o ato praticado estaria respaldado no estatuto partidário, porém sem êxito. A magistrada obriga que o Podemos reative o registro de Aldemar na legenda, restituindo-o ao Diretório de Niterói em até 48 horas após notificada oficialmente da decisão.

Desde 2008 no Podemos – antigo PTN –, Aldemar moveu a ação em 2017 quando Romário assumiu o diretório regional e o tirou do municipal.

“Sou especialista em legislação eleitoral e partidária, e entrei na Justiça por reconhecer a arbitrariedade da minha exclusão. Amanhã mesmo, sexta-feira, publicarei um novo edital de convocação dos candidatos e agendar a convenção, pois a do dia 15 se torna nula, bem como anuladas as pré-candidaturas do partido. Feito isso homologarei a coligação do Podemos com o PDT e o nosso apoio a Axel Grael”, adianta Aldemar, que também já foi presidente regional e nacional do Partido Social Democrata (PSD), assegurando que não manterá a pré-candidatura de Antonio Rayol a prefeito de Niterói.

O atual presidente do Podemos Niterói, Pedro Castilho, que diz não ter sido ainda notificado, comenta que o processo é anterior à sua posse e por isso não estaria apto a opinar.

“Não cabe a mim me manifestar a respeito de um processo cujos autos não conheço nem sou parte integrante. Cabe à Regional se manifestar”, declara ele, complementando que a decisão judicial não atingiria a filiação de Antonio Rayol, que não é membro da Diretoria.

A diretoria regional do Podemos, o senador Romário e o delegado Antonio Rayol foram procurados pela reportagem, mas não retornaram os contatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 3 =