Justiça determina soltura de vendedor que afirma ter sido preso injustamente

A Justiça determinou, na tarde dessa terça-feira (26), a soltura do vendedor José Maurício da Silva Almeida, de 30 anos, morador da comunidade do Buraco do Boi, em Santana, Região Norte de Niterói. A informação foi confirmada pelo advogado do rapaz, Américo Frank da Costa.

A defesa entrou com novo pedido de habeas corpus e o pedido foi aceito pelo desembargador Marcelo Castro Anatocles da Silva Ferreira, da Sexta Câmara Criminal. Com isso, foi solicitada a expedição de alvará de soltura. A expectativa é que Maurício deixe o Presídio Ary Franco, em Água Santa, no Rio de Janeiro.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) se manifestou de forma favorável à soltura. Contudo, na semana passada, a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, onde corre o processo, negou o habeas corpus impetrado pela defesa, logo após o parecer do MPRJ.

José Maurício alega estar preso por engano desde o dia 4 de outubro. A família afirma que ele foi com um dos líderes do tráfico da Comunidade do Buraco do Boi. Ele é acusado de ter cometido uma tentativa de homicídio contra um jovem, em agosto deste ano. Segundo o advogado, a uma testemunha, durante depoimento à Polícia Civil, teria confundido Maurício com um traficante conhecido como “Nenzinho”, apontado como liderança do tráfico na região.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =