Justiça decide soltar PM acusado de matar menina de 5 anos

A Justiça decidiu soltar o policial militar Bruno Dias Delaroli, acusado de matar a menina Ana Clara Gomes Machado, de 5 anos, durante ação na Comunidade do Monan Pequeno, Região de Pendotiba de Niterói. O Alvará de Soltura foi expedido após a Justiça acatar recurso impetrado pela defesa do agente.

Ana morreu após ser atingida enquanto estava na porta de sua casa, no dia 2 de fevereiro deste ano. O policial foi preso em flagrante horas após o fato, e assim permanecia desde então. Em 30 de junho deste ano, foi realizada a audiência de instrução do processo, que corre na 3ª Vara Criminal de Niterói.

A defesa de Bruno pediu a substituição da prisão preventiva por medidas cautelares. A solicitação foi atendida pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, titular da vara. A reportagem de A TRIBUNA tentou contato com a defesa do policial. No entanto, até o momento, não houve êxito. O espaço permanece aberto caso haja vontade de manifestação.

Recordando

Ana Clara morreu  após ser atingida por uma tiro, na manhã do dia 2 de fevereiro, na Comunidade do Monan Pequeno, no Largo da Batalha, Região de Pendotiba de Niterói. Familiares acusam a Polícia Militar de ter feito o disparo.

Segundo relato de sua tia, Ana Cristina Gomes, de 23 anos, a menina estava brincando na porta de casa quando uma viatura do 12º BPM (Niterói) supostamente teria passado atirando pelo local.

“Eles mataram ela. Ela estava na porta de casa. Ela estava brincando e deram três tiros. Aqui não tem tráfico. Demoraram para socorrer a menina”, afirmou Ana Cristina.

A menina chegou a ser socorrida, mas não resistiu. O caso foi registrado pela Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG), que identificou Bruno como autor do disparo e o prendeu em flagrante. A Justiça, na sequência, converteu a prisão em preventiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 10 =