Justiça dá cinco dias para Garotinho colocar tornozeleira eletrônica

O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, tem até esta semana para comparecer à Superintendência Geral de Inteligência do Sistema Penitenciário (Sispen), no Rio, para colocar uma tornozeleira eletrônica. A Justiça determinou na última quarta-feira (19) e deu cinco dias úteis para ele. Ainda determinou o bloqueio de mais de R$ 18 milhões do ex-governador e sua esposa, Rosinha Matheus.

O processo que o casal de ex-governadores responde faz parte de um desdobramento da Operação Chequinho, que apurou a compra de votos na cidade de Campos em 2016, nas eleições municipais. O nome da operação foi escolhido porque, segundo a Polícia, a fraude envolvia o programa social Cheque Cidadão.

A decisão é do juiz Leonardo Cajueiro, da 2ª Vara Criminal de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. O Ministério Público do Estado (MPRJ) esclarece na denúncia que valor bloqueado (R$ 18.047.277) é referente ao total que teria sido desviado dos cofres da prefeitura entre os meses de julho, agosto, outubro, novembro e dezembro de 2016.

O MP esclarece ainda que na época, enquanto Rosinha era prefeita, Garotinho desempenhava a função de secretário de Governo e praticou os crimes de supressão de documento (18.834 vezes) e peculato (82.248 vezes). Além disso, ambos também são acusados de crime de responsabilidade.

Além de ter que usar a tornozeleira eletrônica, entre as medidas cautelares estão: proibição de acessar ou frequentar Campos e escritórios de representação do município em quaisquer componentes da federação; proibição de manter contato com as testemunhas arroladas na denúncia; recolhimento domiciliar no período noturno e nos dias de folga; e suspensão do exercício de função pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *