Jurujuba teve pelo menos três mortos no intervalo de um ano

No intervalo de pouco mais de um ano, o outrora pacato bairro de Jurujuba passou a virar refém de traficantes, segundo relatos dos próprios moradores. No fim da tarde de sexta-feira (01) e no prolongamento do último sábado, criminosos ordenaram que comerciantes, sobretudo de bares e lanchonetes, não abrissem as portas, em represália à morte de um homem acusado de integrar o tráfico de drogas e que morreu em confronto com policiais militares do 12º BPM, no início da tarde de sexta. No mesmo enfrentamento, outros seis acusados foram presos, sendo cinco deles baleados. Durante a incursão, na comunidade Peixe Galo, os militares ainda apreenderam drogas e armas.

De acordo com denúncias, traficantes da comunidade do Preventório, em Charitas, há muito tempo estariam buscando manter postos avançados de venda de drogas. Nesse clima, moradores afirmam que a paz que tinham anteriormente acabou. A tranquilidade que sempre representava a região, um dos cartões-postais da cidade, acabou com a chegada dos criminosos. No confronto de sexta-feira, um dos acusados, conhecido como Mais Alto, apontado como chefe dos pontos de venda de drogas, foi baleado e morreu. Mesmo com patrulhamento intensificado, bandidos ligados ao tráfico seguem desafiando a polícia. No dia 2 de maio comerciantes já haviam sido ameaçados outra vez caso abrissem seus estabelecimentos. Na ocasião, o “luto forçado” havia sido em decorrência da morte de outro acusado em confronto com a PM. Moradores também afirmaram que estavam sendo ameaçados e até uma creche municipal, uma escola estadual, uma unidade de saúde e o Projeto Grael também não abriram as portas na ocasião, quando foram apreendidas drogas e uma granada pela polícia.

Na noite do dia 19 de março, câmeras de segurança já haviam registrado imagens de bandidos armados percorrendo as ruas do bairro e danificando os equipamentos de monitoramento. De acordo com Associação Viver Bem, quatro câmeras foram danificadas. Há cerca de um ano, em maio de 2017, policiais militares do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do Cafubá, na Região Oceânica, prenderam dois rapazes e apreenderam três adolescentes, na Estrada Francisco da Cruz Nunes. Um deles confessou o assassinato (uma semana antes) do sargento reformado da PM, de 70 anos, numa emboscada, na Travessa Gonçalo Ferreira, em Jurujuba. O crime teria sido cometido a mando de lideranças do tráfico no Preventório, segundo a polícia porque o militar seria um obstáculo e tentava impedir a implantação de pontos de venda de drogas no bairro. A vítima foi morta com vários tiros, após ser cercada em frente à Igreja Nossa Senhora da Conceição. Traficantes do Preventório, segundo testemunhas, chegaram a comemorar o crime soltando fogos, fato que esterreceu os moradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *