Juíza marca primeira audiência sobre feminicídio do Plaza

Matheus dos Santos da Silva, acusado de feminicídio contra a estudante Vitórya Melissa Mota, de 22 anos, no dia 2 de junho deste ano, em pleno Plaza Shopping, estará, pela primeira vez, no banco dos réus. Está marcada, para o dia 2 de agosto, às 13h30min, no Fórum de Niterói, a primeira audiência de instrução do processo, referente ao caso. Será no exato dia em que se completam dois meses do crime.

Serão ouvidas, pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, testemunhas de acusação, arroladas pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), testemunhas de defesa, arroladas pelos advogados, além do promotor responsável pelo caso, a banca da defesa e o próprio acusado. A magistrada deu prazo de cinco dias para que a defesa adeque seu rol de testemunhas.

Em despacho, a juíza negou solicitação da defesa, que desejava obter a lista de nomes dos professores do curso técnico de enfermagem, no qual Matheus e Vitórya eram colegas, assim como a relação dos nomes dos alunos que compunham a turma. Para Nearis, se tratam de dados pessoais, de pessoas alheias ao processo e a privacidade deve ser mantida. A magistrada pondera que, caso a finalidade seja identificar possíveis testemunhas para o processo, a defesa deve indicar os nomes, primeiramente.

Matheus dos Santos da Silva estará no banco dos réus – Foto: Divulgação

Nearis dos Santos Carvalho Arce também negou pedido dos acusados de Matheus para instauração de incidente de insanidade mental. A juíza afirma que, para justificar a solicitação, a defesa deve apresentar documentação médica que respalde a alegação. “Não há nos autos qualquer indício de que o réu seja acometido por distúrbio psiquiátrico. O acusado, a princípio, ostentava comportamento funcional, sendo inclusive aluno matriculado no mesmo curso técnico de enfermagem que a vítima cursava”, enfatizou a juíza.

Câmeras de segurança

A Justiça ainda determinou que o Plaza Shopping forneça imagens de câmeras de segurança do centro comercial, desde o momento em que Vitórya chega ao shopping até a retirada do corpo do local. A juíza justifica a medida de modo que se evite possível exclusão das imagens, devido à passagem do tempo. Também foi estabelecido o prazo de cinco dias.

Recordando

A jovem Vytoria Melissa Mota, de 22 anos, morreu após ser esfaqueada, na praça de alimentação do Plaza Shopping, no começo da tarde de 2 de junho. O autor do crime, Matheus, foi preso em flagrante por policiais civis da 76ª DP (Niterói), que almoçavam no local. A jovem foi socorrida ainda com vida, mas morreu no Hospital Estadual Azevedo Lima (HEAL) no Fonseca, Zona Norte da cidade.

A investigação concluiu que a motivação do crime foi passional, pois Vitórya se recusou a manter um relacionamento com Matheus. A estudante, além de cursar enfermagem, trabalhava em uma cafeteria, na praça de alimentação do shopping. O acusado surpreendeu a moça a poucos metros do trabalho. A polícia afirma que a arma do crime, uma faca, foi comprada em uma loja no próprio shopping. A Justiça afirma já possuir o arquivo contendo as imagens da compra.

Em nota, os advogados de Matheus, Carina Goiatá, Claudia Plaster, Cláudio Dalledone Júnior e Renan Pacheco Canto ficaram satisfeitos com celeridade do ato processual. “A audiência foi marcada para o dia 2 de agosto. Nosso objetivo, nossa missão nesse caso é esclarecer os fatos, buscar a verdade, tratando essa grande tragédia com cautela. Avaliaremos também as condições físicas, mentais e psicológicas de Matheus”, disseram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.