Juiz niteroiense cotado para vaga no STF

Raquel Morais

O juiz federal William Douglas dos Santos, da 4º Vara Federal de Niterói, está cotado para ser indicado ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Marco Aurélio Mello vai se aposentar de forma compulsória por chegar aos75 anos, e a vaga deverá ser preenchida em julho. Antes disso, William Douglas assumirá como desembargador no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), em fevereiro.

William comentou sobre a promoção para desembargador no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, com jurisdição no Rio de Janeiro e no Espírito Santo. Esse novo cargo está previsto para mês que vem.

“Niterói é uma cidade extraordinária. Sempre gostei muito de trabalhar em Niterói. E vamos deixar para quem fica uma vara em dia. Está sem nenhum processo em atraso e isso não é nada além de uma obrigação nossa, mas felizmente estamos podendo deixar essa situação. Quem chegar para assumir a 4ª vara vai pegar um bom lugar para se trabalhar”, contou.

Sobre a expectativa para o TRF-2 ele resumiu o sentimento.

Cumprir bem o meu dever. É uma honra poder fazer parte do Tribunal”, comentou.

Já sobre o STF, onde seu nome é ventilado na lista de substitutos junto com o ministro da Justiça, André Mendonça, e o presidente do STJ, Humberto Martins, William Douglas se posicionou.

“Fico muito feliz com tantas pessoas lembrarem do meu nome, mas esta é uma atribuição exclusiva do presidente da República. Hoje, só tenho em vista a minha promoção para o TRF-2 por antiguidade, que deve ocorrer no próximo mês. Por ser o mais antigo na carreira, eu tenho a preferência da vaga”, resumiu.

A escolha para o novo ministro será feita pelo presidente Jair Bolsonaro e desde o ano passado há especulações do perfil que ele irá escolher para o cargo. Inclusive, o presidente afirmou publicamente que o país teria um ministro ‘terrivelmente evangélico’. Em entrevistas passadas Bolsonaro afirmou que o substituto teria que ser leal, conservador e respeitador dos princípios básicos da Constituição da República. Apesar de ser escolha do presidente, é comum o diálogo entre os ministros e os senadores, que podem dar aceitar ou vetar a escolha.

William Douglas é Juiz Federal, Titular da 4ª Vara Federal de Niterói, bacharel em Direito pela Universidade Federal Fluminense (UFF), pós-graduado em Políticas Públicas e Governo pela Escola de Políticas Públicas e Governo/UFRJ, membro da Diretoria da Associação dos Juízes Federais do Brasil, além de professor universitário e escritor de vários livros de sucesso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + treze =