Jordy é condenado a pagar R$ 35 mil ao youtuber Felipe Neto

Felipe Neto afirmou que irá doar o valor para o Instituto Marielle Franco

Justiça do Rio de Janeiro condenou o deputado federal Carlos Jordy, (RJ), do PSL, a pagar R$ 35 mil ao youtuber Felipe Neto como indenização por danos morais. A juíza Bianca Ferreira Machado Nigri, da 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca, disse em sua decisão, haver “a ausência de comprovação de que o massacre de Suzano tenha sido causado por jovens seguidores de Felipe Neto, bem como que tenha sido cometido por conta e por influência do autor e por não haver nexo de causalidade no alegado”. Foi determinado também que Jordy faça uma retratação pública.

O juiz Arthur Eduardo Magalhães Ferreira, em abril do ano passado, já havia determinado a exclusão de uma postagem no Twitter que ligava o influenciador digital ao massacre em escola de Suzano, em São Paulo.

“Quando digo que pais não devem deixar os filhos assistirem vídeos do Felipe Neto, não é brincadeira. Em 2016, ele fez vídeo ensinando a entrarem em sites da deepweb. Agora descobriram que os assassinos de Suzano pegaram as informações para o massacre num dos sites após assistirem ao vídeo”, publicou Jordy, na época.

O deputado também fez outros ataques a Felipe Neto. Em setembro do ano passado, Carlos Jordy publicou tuíte dizendo que o influenciador digital havia distribuído 14 mil livros LGBTs na bienal. Jordy pedia que os usuários das redes não permitissem que os filhos vissem o material contra suas “suas convicções morais”.

A publicação levou a hashtag #PaiscontraFelipeNeto aos trending topics da plataforma. À época, Jordy admitiu que iniciou a divulgação. O deputado alegava imunidade parlamentar. A Justiça entendeu, no entanto, que o caso não se trata de manifestação do pensamento no exercício da função.

Procurados, Felipe Neto afirmou em suas redes sociais que irá doar o valor para o Instituto Marielle Franco e ao Ocupa Sapatão (organização pela visibilidade lésbica). “Esse valor pode até subir caso ele recorra”, declarou na postagem. E Carlos Jordy, disse que irá reverter. “Além do juízo não ter respeitado a minha prerrogativa como deputado, especificamente, a imunidade parlamentar, julgou errado, atropelando todo rito, sem audiência de conciliação nem instrução. Mas estou tranquilo, a decisão não tem fundamento, muito menos o foro”, disse o deputado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + quinze =