Jogadores argentinos barrados pela Anvisa, entrarão em campo

A partida que acontece entre Brasil x Argentina pelas Eliminatórias da Copa hoje (5) às 16h, teve quatro jogadores argentinos barrados pela Agência Nacional de Saúde (Anvisa) por não terem feito a quarentena exigida pelo país. Dos quatro jogadores, Emiliano Martinez, Giovani Lo Celso e Cristian Romero estão relacionados para a partida e vão entrar em campo. Emiliano Buendia, que também foi barrado, não está relacionado.

De acordo com alguns sites argentinos, a Confederação Sul-americana de Futebol (Conmebol) tem um acordo de liberação de quarentena entre todos os países do continente para permitir que atletas disputem partidas oficiais. Ainda que isso vá contra as regras do país.

A Polícia Federal chegou a ir ao hotel onde estão hospedados os argentinos no início da tarde deste domingo para avisar que eles seriam deportados, mas todos os jogadores embarcaram no ônibus e seguiram ao estádio na Zona Leste da capital paulista.

BRASIL TERIA SIDO AMEAÇADO COM PERDA DE PONTOS E MANDO DE CAMPO

Quando a Anvisa emitiu a notificação, a Conmebol teria pressionado a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a cumprir o acordo de liberação de quarentena. Os cartolas sulamericanos teriam ameaçado tirar os pontos do Brasil caso a Argentina não pudesse escalar o quarteto que passou pelo Reino Unido e ainda fariam a seleção brasileira perder o mando de jogo na partida de quinta-feira contra o Peru (a partida está programada para ser disputada no Recife). A informação é do diário Olé.

Desde junho, o Brasil restringe a entrada de estrangeiros vindos do Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia nos últimos 14 dias. Os jogadores barrados mentiram e informaram não ter passado em nenhum desses locais.

Martinez e Buendía entraram em campo pelo Aston Villa contra o Brentford pela Premier League no dia 28 de agosto em Villa Park. Lo Celso e Romero ficaram na reserva em jogo do Tottenham contra Watford no dia 29 de agosto.

“Diante da confirmação de que as informações prestadas pelos viajantes eram falsas, a Anvisa esclarece que já comunicou o fato à Polícia Federal, a fim de que as providências no âmbito da autoridade policial sejam adotadas imediatamente”, diz a agência em nota. “Eles estão impedidos de participar de qualquer atividade e devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro”, continua a nota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 5 =