“Jamais me desviei do caminho da lei”, diz Witzel sobre delação premiada de Edmar Santos

Em seu perfil no Twitter, o governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC) comentou, nesta terça-feira, dia 14, o acordo de delação premiada fechado por seu ex-secretário de Saúde, Edmar Santos, com a Procuradoria Geral da República (PGR). Edmar teria dado informações sobre corrupção envolvendo Witzel.

Witzel disse que seu compromisso com a população do estado é o de governar com ética e transparência.

“Minha trajetória de vida fala por mim. Jamais me desviei do caminho da lei e, desde janeiro de 2019, do objetivo de reerguer o nosso Estado. Nem eu e nem ninguém pode ser acusado de qualquer irregularidade sem prova”, escreveu Witzel em seu Twitter.

Edmar Santos, que além de ex-secretário de Saúde é tenente-coronel da Polícia Militar do Rio de Janeiro, foi preso na manhã da última sexta-feira em seu apartamento, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. Ele está preso no Batalhão Especial Prisional (BEP) da PM em Niterói.

O Ministério Público do Rio acusar Edmar Santos de ser chefe de uma organização criminosa que atuava na secretaria de Saúde do Rio. As investigações apontam que o ex-secretário e outros funcionários da pasta fraudaram contratos de venda de respiradores para paciente com Covid-19, superfaturando as compras. A prisão de Santos foi decretada pelo juiz Bruno Rulière, da 1ª Vara Criminal Especializada do Rio.

O governador também é investigado pela compra dos respiradores, mas no Superior Tribunal de Justiça (STJ), por ter foro privilegiado. Nessa segunda-feira (13), a PGR pediu que o STJ fique responsável por todos os processos relativos às fraudes na saúde no Rio, na Operação Mercadores do Caos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − oito =