Ipem fiscaliza balanças no Mercado São Pedro

Às vésperas da Semana Santa, 14 equipes de fiscais da Diretoria Técnica do Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem-RJ) fizeram nesta terça-feira (27) simultaneamente blitz no Mercado São Pedro e no Barcas Shopping, no Centro. O objetivo foi evitar que consumidores tivessem prejuízos na hora de comprar o pescado. Foram vistoriados 48 estabelecimentos e verificadas 52 balanças. Foram autuadas cinco balanças e um box.

Das balanças multadas, três estavam com o selo do Inmetro rompido, uma com ele em local de difícil visualização e outra por estar sem a verificação obrigatória do ano passado. Já o box autuado fica Mercado São Pedro. Ele vendia produtos embalados sem informar na embalagem a indicação quantitava. O proprietário foi orientado a recolher os produtos expostos e pesá-los de forma correta, descontando o peso da embalagem e etiquetando conforme a legislação.

Todos os estabelecimentos notificados terão um prazo de dez dias para recorrer das autuações, caso contrário poderão receber multa que varia de R$ 100 até R$ 1,5 milhão.

Os consumidores que quiserem denunciar algum tipo de irregularidade, podem ligar para a ouvidoria do órgão através do 0800-2823040, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Não há necessidade de identificação.

Venda em toneladas
O diretor da Associação dos Comerciantes e Amigos do Mercado de Peixe São Pedro, Attílio Guglielmo, estima que devem ser comercializadas 150 toneladas até o dia 31. Em 2017, o entreposto vendeu 120 toneladas.

Os valores praticados pelos pescados estão dentro da normalidade, alguns até mais baratos. Por exemplo, o quilo do camarão cinza, o mais vendido, está custando R$ 27,99. No final de fevereiro estava sendo vendido por R$ 29,99, uma queda de 6,6%.

“Vou viajar para Minas Gerais e lá só tem peixe de água doce. Para quem gosta de peixe nada melhor do que peixe de mar e por isso vou levar tudo para lá. Comprei um pouco de cada coisa: dourado, sardinha, camarão e ova de peixe”, comentou a moradora de Icaraí e comerciante Roseli de Azevedo, de 47 anos, que gastou R$ 300 nas compras.

Os peixes mais procurados são anchova, corvina e dourado, cujo quilo custa entre R$ 18 e R$ 20. Tirando o dourado, os demais peixes tiveram alta de até 38% nos preços.

“Vendemos mais camarão do que outro produto. As pessoas não economizam quando o assunto é camarão. A sardinha também está sendo muito procurada”, explicou a comerciante Luciana Antunes, da Peixaria Júnior, que vende o quilo do camarão por R$ 27,90 e da sardinha R$ 11,90.
Os filés de peixe também estão na aposta de quem não gosta de ficar separando espinha. Pescadinha, Cação, Congro Rosa e Linguado estão sendo vendidos por R$ 27,99, R$ 39,90, R$ 34,90 e R$ 54,99, respectivamente.

Mas para quem quer manter o tradicionalismo e não consegue substituir o bacalhau, pode encontrá-lo com preços bem salgados. O lombo está sendo vendido por R$ 94 o quilo, em lasca, R$ 65, e a bandeja com 15 bolinhos de bacalhau custa R$ 25. O salmão também é uma aposta dos comerciantes, cujo quilo está sendo vendido por R$ 49,90 tipo filé e R$ 45, a posta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + dez =