Investigação aponta que tiro que matou Dyogo Dondon, na Grota, partiu da polícia

A delegada Bárbara Lomba, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG), afirmou que o resultado do trabalho de perícia, realizado pela Polícia Civil, apontou que nas investigações para apurar a morte do jovem, Dyogo Costa Xavier de Brito, o Dondon, de 16 anos, apontaram que o tiro que matou o rapaz, no dia 12 de agosto desse ano, teria partido da arma de um policial.

Dyogo foi baleado nas costas, quando deixava sua residência, na comunidade da Grota, em São Francisco, Zona Sul, para seguir para o treino de futebol. Ele integrava a equipe da Divisão de Base do América. “Não houve ação nenhuma por parte do Dyogo. Não estava armado, não fez menção de nada, de atirar. Naquele momento não havia troca de tiros. Não sabemos exatamente quem foi o autor do crime, mas tudo leva crer, tudo indica, pelas investigações, que se trata de policial ou de policiais”, afirmou a delegada.

Dyogo foi baleado quando policiais militares do Batalhão de Choque (BPChq) realizavam uma operação nas comunidades do Complexo de Santa Rosa e também Grota. “Eu peguei ele no hospital quando ele nasceu e agora peguei ele no colo quando ele morreu. Ainda falaram para mim que meu neto é traficante. Era só chamar ele, mandar encostar e verificava a bolsa. Ia ver que ele ia treinar e liberava”, disse o avô na época do crime. Dyogo chegou a ser levado para a Policlínica Regional do Largo da Batalha, mas não resistiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *