Instituições de reabilitação voltam a atender em setembro

O chamado ‘Novo Normal’ está mudando a rotina e o hábito dos niteroienses, que cada vez mais são obrigados a se adaptarem neste momento entre a necessidade do isolamento social e das atividades do dia a dia. As instituições de recuperação de Niterói, como Pestalozzi e a Associação Fluminense de Reabilitação (AFR), também estão programando mais uma abertura parcial para setembro. A Pestalozzi divulgou que pretende abrir alguns centros de atendimentos no mês que vem, assim como a AFR, que deverá retornar com o atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mesmo assim com capacidade reduzida.

Na instituição da Região de Pendotiba a retomada será gradual já que somente a Oficina de Órtese e Prótese está funcionando desde julho passado. Esse setor está funcionando apenas para a produção e entrega das órteses de reabilitação. No início dessa semana o ginásio virou um grande centro de treinamento dos funcionários, que aprenderam um pouco sobre o uso correto dos Equipamentos de Proteção individual (EPIs). O encontro presencial respeitou todos os protocolos de isolamento social e cuidados como o uso de máscaras e de álcool em gel. As palestras foram feitas pelas médicas neurologista Marcelle Soares e a ortopedista Lorena Amorim, ambas da equipe técnica da Pestalozzi de Niterói.

“De forma gradual e segura respeitando todos os protocolos traçados pelo Ministério da Saúde e a Prefeitura de Niterói, estamos nos preparando para retomarmos as nossas atividades. A Pestalozzi nunca parou de prestar, mesmo que de forma remota e através das redes sociais, atendimento aos seus usuários. Retomamos as atividades de entrega de equipamentos da oficina de órtese e prótese no mês passado e iniciamos agora o treinamento de nossas equipes, que terão a tarefa de atuar na reabilitação dos pacientes com cuidados redobrados. Vivemos um novo momento, mas sempre com o foco na qualidade de vida daqueles que buscam nossos serviços”, enfatizou o presidente da instituição, José Raymundo Martins Romeo.

Já a AFR está funcionando somente para atendimento de convênios e particular. A previsão é de retorno para o SUS no mês que vem e com capacidade reduzida.

“Estão acontecendo algumas reuniões para tratar esse retorno. Terão patologias que não poderão sr atendidas por serem de grupos de riscos. Tem todo um protocolo que está sendo seguindo direitinho para poder retornar. Estamos fazendo os teleatendimentos e os atendimentos remotos, mesmo pelo SUS, e estamos nos preparando para mais atividades.”, explicou a fonoaudióloga Paola Amaral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + dezesseis =