Insegurança em Niterói aumenta pedidos delivery em 21%

Raquel Morais –
Um levantamento feito pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL-Niterói) divulgou que os pedidos de delivery aumentaram em 21% na cidade, quando analisados janeiro e fevereiro de 2018 com 2017. Medo, insegurança e aumento da violência estão diretamente ligados ao crescimento do serviço de ‘entrega em casa’, seja em estabelecimentos de todos os tipos: da alimentação até a moda.

O empresário Leonardo Rocha, de 32 anos, é dono da NitBurguer, em Icaraí, e percebeu esse aumento nos pedidos para delivery em 15%. “Percebemos o aumento desde o início de fevereiro. Depois do carnaval esse crescimento continuou alto e o pedido no balcão reduziu muito. Isso é ruim, pois temos despesas físicas grandes”, explicou. O comerciante ainda ressaltou que, apesar de a loja física estar em Icaraí, a maioria dos pedidos são para moradores do próprio bairro, seguido do Centro, São Francisco e Charitas.

E não é só entrega de comida a preferência dos niteroienses. O empresário Cesar Coelho, da Witty, loja de acessórios femininos e masculinos em Icaraí, também oferece o serviço de entrega em domicílio para os clientes. “O cliente solicita e nós encaminhamos o vendedor para sua residência junto a máquina de cartão. Nós temos também o serviço de entrega da mercadoria comprada na loja, caso o cliente queira seguir para outro lugar ou não tenha como levar no momento. O delivery na loja se dá devido ao tipo de cliente que a loja tem, que por serem mais selecionados, dão preferência a esse tipo de serviço”, pontuou.

O presidente da CDL-Niterói, Luis Vieira, explicou que “o aumento nos pedidos do delivery é natural devido a sensação de insegurança na cidade. Se andarmos à noite na cidade vamos perceber que as pessoas não estão caminhando na rua. As pessoas optam por ficar em casa e fazer os pedidos desde restaurantes até farmácias”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − quatro =