Insegurança dentro de casa

Augusto Aguiar –

Entre os anos de 2015 e 2016 o Rio apresentou, de acordo com levantamento estatístico, um aumento de 23% na incidência de crimes de roubos e furtos a residências, ou seja, um salto de 442 registros para 544. Nas estatísticas do Estado não há uma distinção relacionada a condomínios, mas os apartamentos e casas em locais cercados estão virando preferência dos bandidos. No início desse ano o levantamento passou a apontar a redução nos índices desse tipo de delito, mas que não representam sensação de segurança para moradores.

Iniciativas com objetivo de prevenir a ação de criminosos, como a criação de grupos de monitoramento, está garantindo a interligação de moradores, com a inclusão de polícia, passando a ser uma garantia de agilidade na comunicação e mobilização diante de possíveis ocorrências. A cada vez mais crescente utilização de câmeras de segurança, cercas elétricas, sensores de movimento e até o tradicional cão de guarda completam a lista de opções no fator “prevenção”. Atualmente até a compra do próprio imóvel está vinculada a algum tipo de garantia ligada à segurança. O problema é que ela ainda é encontrada em pouquíssimos lugares. Mesmo com tanto cuidado dos moradores e das autoridades e a utilização de dispositivos de segurança, os criminosos ainda atacam.

No dia 22 de junho desse ano, por exemplo, bandidos invadiram uma residência em Itacoatiara, bairro nobre da Região Oceânica de Niterói, e mantiveram um médico, sua família (incluindo crianças) e uma babá como reféns, roubando vários pertences e fugindo em seguida. A ação dos criminosos mobilizou a polícia em Niterói. Naquele mês, o Instituto de Segurança Pública (ISP) computou 11 registros de roubos de residências em Niterói e outros nove no município vizinho de São Gonçalo. No mês anterior foram oito registros do gênero em São Gonçalo e 18 em Niterói. De janeiro a julho desse ano, as duas cidades registraram 122 ocorrências, sendo 85 delas em Niterói e 37 em São Gonçalo.

No início do mês de abril, três bandidos, portando uma arma de fogo e facas, invadiram um condomínio, em Itaipu, roubando três residências dos quatro imóveis situados no local. Renderam moradores, mantiveram vítimas como reféns e fugiram levando vários pertences em dois carros das vítimas. Os bandidos ficaram cerca de uma hora e meia no condomínio. Temendo novas ocorrências, algumas vítimas afirmaram que iriam se mudar para outro local. Em apenas um dos imóveis, os marginais roubaram pertences avaliados em cerca de R$ 200 mil. Em 21 de fevereiro, dois bandidos invadiram um condomínio de Camboinhas e, em uma das ruas, até então considerada um lugar seguro e calmo pelos moradores, renderam pelo menos uma vítima que saía de casa para o trabalho, às 08 horas da manhã. Câmeras do circuito interno de segurança do condomínio flagraram a ação dos bandidos. Chocados com a violência tão perto de suas casas, os moradores do condomínio usaram as redes sociais para pedir socorro. Os cuidados com a segurança, sobretudo em condomínios, são abordados em palestras e cursos ministrados anualmente pelo 12º BPM, voltado para porteiros, síndicos, e moradores.

Dicas de segurança condiminial
– Ao receber visitas que não sejam íntimas, prefira utilizar as áreas comuns de seu condomínio, de preferência à vista dos funcionários do empreendimento.
– Avisar o condômino sobre visitas, entregas, e só permitir acesso às dependências mediante autorização do morador e devidamente acompanhado por um funcionário.
– Antes de autorizar a entrada, o morador deve sempre ter a certeza que conhece o visitante e que ele é bem-vindo à sua residência.
– Ao receber prestadores de serviços, é necessário identificá-los, anotar os dados de seus documentos.
– Nos horários de limpeza e recolhimento de lixo, as entradas do edifício devem se manter fechadas.
– Quando recepcionar entregadores de encomendas, faça-o nas áreas de uso comum do edifício, à vista dos funcionários da portaria.
– Quando estiver aguardando entrega no domicílio, o condômino deve avisar/instruir a portaria para receber as encomendas, evitando assim a presença de estranhos em seu apartamento.
– No caso de entrega de encomendas, o porteiro deve avisar o condômino e solicitar sua presença na portaria.
– Se observar veículo com um ou mais ocupantes estacionado nas proximidades do prédio por longo tempo ou que passe várias vezes, lentamente, parecendo estar observando a rotina da portaria e do acesso à garagem, acione a polícia.
– Ao abrir o portão da garagem, identificar o motorista e observar se não há risco de entrar alguém junto (exemplo: escondido, abaixado no banco traseiro).
– Na entrada ou saída de pessoas, somente abrir o portão após verificar se não há suspeitos nas proximidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *