Inmetro inicia operação para comprovar segurança de brinquedos

Augusto Aguiar

Para o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) a qualidade dos brinquedos adquiridos nas lojas e a as garantias de segurança são assuntos muito sérios. Brincadeira é só com as crianças, sobretudo no próximo dia 12 (Dia das Crianças) e nas festas de fim de ano (Natal), por exemplo. Desde ontem o Inmetro intensificou o trabalho de fiscalização com a Operação Especial Dia da Criança. A ação de fiscalização, operacionalizada pelos institutos de pesos e medidas estaduais, ocorrem durante todo o ano mas, em algumas épocas, são realizadas de forma especial, como a relativa ao Dia da Criança, disse o assistente da Diretoria de Avaliação da Conformidade do Inmetro Paulo Coscarelli.

“A gente vai concentrar esforços de fiscalização em cinco produtos: brinquedos; dispositivos de retenção infantil, que são as cadeirinhas de automóvel, para transporte de crianças; berços; carrinhos de bebê; e as bicicletas infantis”, informou. Além de coibir a venda de produtos infantis irregulares, a operação visa garantir segurança às crianças. “O objetivo fazer o monitoramento, no mercado, se os produtos que o Inmetro regulamenta e certifica atendem aos requisitos que devem atender. É na linha de promover a segurança dos produtos que nós regulamentamos”. Não basta simplesmente o Inmetro regulamentar e certificar, disse. “O Inmetro tem que fazer essa ação de vigilância de mercado para saber se essas regras e esses requisitos estão sendo cumpridos pelas empresas”.

Numa das mais conhecidas e conceituadas lojas de brinquedos de Niterói, situada na Rua Presidente Backer, Icaraí, brinquedos com selos de qualidade do Inmetro estão por toda parte. “Nossos cliantes já sabem que os brinquedos aqui são de qualidade e por isso não pode faltar o selo de autencidade dessa qualidade e de segurança. Nessa época do ano, tem consumidor que começa a segurar um pouco os gastos de olho no Dia das Criança e o Natal. Porém, a greve dos bancos está refletindo de forma negativa para o movimento de procura. Não estamos conseguindo bater nossas metas por conta da greve. No ano passado, devido a crise já não havíamos conseguido esse objetivo. As crianças não querem saber da crise”, explicou o gerente da loja, Lucas Bruno, acrescentando que existe uma variação nos preços dos brinquedos, em média de 5%, com relação ao ano passado, dependendo da marca e tipo de produto.

“Além do preço, que estou achando mais caro, também estou de olho na qualidade e na questão de segurança. Estou procurando observar o selo de segurança dos brinquedos, e escolher aquele que cabe na minha condição (pagamento), explicou a aposentada Maria dos Anjos, de 66 anos, enquanto observava as prateleiras da loja acompanhada da neta. A operação, de acordo com o Inmetro, contribui também para aumentar a confiança do consumidor, que está adquirindo um produto seguro para seu filho. Segundo Paulo Coscarelli, a intenção, no final, é a segurança das crianças que são, na verdade, os verdadeiros usuários desses produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *