Infrações na Ponte Rio-Niterói superam 2016

Raquel Morais –

Transitar em horários proibidos e por cima da sinalização de canalização. Essas foram as duas multas mais aplicadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na Ponte Rio-Niterói. O levantamento das infrações nessa rodovia ainda mostrou que, mesmo sem ter fechado o ano, 2017 já registra 30% a mais de multas do que todo o ano de 2016. O Centro de Monitoramento da Ecoponte registrou no último final de semana um motorista que deu ré na altura da grande curva. O fato inusitado chamou atenção da especializada para as infrações.

Segundo informações da PRF, os caminhões não podem passar pela Ponte em dias de semana, entre 4h e 10h, e justamente essa foi a infração mais cometida. A irregularidade resultou em 2.533 multas, o que representou aumento de 231,5% na comparação com 2016. Usar a parte de sinalização de canalização (com ressaltos na via geralmente em bifurcações) também gerou muitas infrações nesse ano, com aumento de 70,1%: enquanto em 2017 foram aplicadas 1.318 multas, em 2016 foram 775. “A legislação prevê essa possibilidade de aplicação de autuações através de imagens, e com essa central de monitoramento é possível otimizar o trabalho”, comentou o porta-voz da PRF, José Hélio Macedo. “No passado existia a necessidade do policial ir ao local para resolver essas questões. Hoje com emprego da tecnologia isso não é necessário”, acrescentou o gerente de operações da Ecoponte, Julio Amorim.

Mas parece que tanta vigilância está funcionando para diminuir a evasão do pedágio. Em 2016 foram aplicadas 2.122 multas contra 1.150 em 2017, queda de 45,8%.

CONFUSÃO NA PONTE
O motorista que deu ré na Ponte alegou que ficou com medo do combustível acabar na travessia da rodovia e, por isso, resolveu ‘voltar’. Toda a ação durou 15 minutos e ele contou com a ajuda de um amigo, que sinalizou o trânsito. Um reboque da concessionária chegou ao local, mas o motorista desviou e continuou no sentido contrário. No total foram aplicadas quatro multas: dirigir de ré, habilitação vencida, excesso de passageiros e falta de cadeirinha para criança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *