Infestação de piolhos preocupa pais em Niterói

Raquel Morais –

Eles são quase invisíveis, não fazem barulho, não soltam cheiro, mas não passam despercebidos por onde andam. O piolho é considerado uma doença comum no universo infantil, mas muitas mães, crianças e funcionários de farmácias em Niterói confessam que a época está propícia para o bichinho. Dos tradicionais remédios e xampus até os tratamentos caseiros e o temido pente fino, muitas são as técnicas para combater essa visita inconveniente na cabeça dos pequenos.

A balconista de uma drogaria no Centro de Niterói, Késia Cristiane, disse que no início do ano as vendas de remédios para piolho aumentaram cerca de 50%.

A assessora Gabriela Vilela, de 42 anos, tem duas filhas pequenas e teve que apelar para receitas caseiras para conseguir exterminar os piolhos dentro de casa. Ela explicou que os remédios, depois de um tempo, não resolviam mais o problema. Para a filha maior uma solução foi cortar o cabelo para diminuir a dor na hora de passar o pente fino. “Era muito dolorido passar o pente no cabelo comprido dela. Então cortamos para facilitar o tratamento. Como tenho duas filhas, quando uma pega, a outra pega também. Estou agora em um tratamento caseiro, que por enquanto está dando certo”, explicou. A niteroiense disse que passa enxaguante bucal e vinagre, deixa agir por uma hora e depois lava o cabelo com xampu para combater o piolho. “A fórmula parece mágica e está funcionando muito bem”, resumiu a mãe da Sofia, de 9 anos, e Valentina, de 2 anos.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) dá algumas dicas para o tratamento da pediculose, como é cientificamente conhecido o piolho: roupas e utensílios pessoais de pano usados nas últimas 48 horas devem ser lavados com água em temperatura acima de 50ºC e/ou secados em máquinas de secar roupas nas mais altas configurações de calor; pediculicidas tópicos constituem o método mais efetivo, sendo a permetrina a mais usada; pentear o cabelo molhado com pente fino; medicação oral (ivermectina); evitar o compartilhamento de roupas como toalhas, acessórios de cabelo e outros objetos de uso pessoal, bem como evitar o contato direto cabeça com cabeça ou cabelo com cabelo de pacientes infestados; manter escovas de cabelos submersas em água por 10 minutos é uma medida suficiente para matar o piolho presente nos utensílios contaminados.

A Prefeitura de Niterói foi questionada sobre uma possível infestação de piolho e se isso seria caso de saúde pública, assim como se o município tem alguma ação para combater essa propagação na rede pública de ensino. Mas até o momento não se manifestou sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *