Índices apontam que roubos de veículos disparam em São Gonçalo

Vítor d’Avila

Motoristas que passam pela cidade de São Gonçalo precisam redobrar a atenção. Isto porque casos de roubo de veículo registraram sensível aumento no município. A Polícia Civil já investiga os casos e descobriu participação inclusive de criminosos do Rio de Janeiro na prática. O próximo passo é identificar e prender todos.

De acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP), na área do 7º BPM (São Gonçalo), que engloba todo o município, foram 277 casos em janeiro deste ano contra 242 no mesmo mês, no ano passado. Isto representa aumento de 15,5% no comparativo.

As altas mais sensíveis foram nas áreas da 72ª DP (São Gonçalo) e 73ª DP (Neves), que abrangem boa parte da Rodovia BR-101, considerado um dos epicentros de roubos de veículos. Ambas as distritais possuem investigações em andamento para identificar e prender os responsáveis pelos crimes.

O ISP apontou que, na circunscrição da 72ª DP, o aumento foi de 56,1%. 64 ocorrências em janeiro de 2021, contra 41 no mesmo mês, no ano passado. Segundo o delegado Alan Duarte, titular da distrital, há uma expansão nas atividades do tráfico no Complexo do Salgueiro e outras comunidades, tendo inclusive um gerente designado para administrar os roubos de veículos.

“Algumas comunidades, além de operarem com o tráfico de drogas, agora têm gerente do roubo de veículos e estão diversificando a atividade deles. Essas pessoas estão sendo identificadas também e terão mandados de prisão expedidos”, explicou Duarte.

O delegado ainda explicou que os carros roubados são usados para diferentes finalidades, de deslocamento dos próprios criminosos até desmanche. Ele também confirma que há suspeita de participação de bandidos do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, onde a organização criminosa existente no Salgueiro possui “tentáculos”.

“A gente já tem investigações e muitas pessoas identificadas. Esses veículos são roubados por alguns criminosos de comunidades da região, não só Salgueiro, e estão sendo identificados através do trabalho de inteligência. Os veículos são utilizados para desmanche, roubos de outros veículos e circulação. Tem criminosos que vêm se deslocando do Rio de Janeiro, na Maré, para praticar roubos nessa região da mesma facção”, complementou.

Enquanto isso, na área da 73ª DP, a situação é Semelhante. Foram 59 casos de roubos de veículos registrados no primeiro mês deste ano, contra 40 no ano passado, o que representa 47,5% de aumento. A distrital também tem investigações em andamento e, segundo o delegado titular Leonardo Macharet, existe participação de criminosos do Complexo da Alma, onde existe uma disputa pelo controle do tráfico de drogas, nos roubos.

“A guerra de facções na área da 75ª DP [que engloba o Complexo da Alma] afeta bastante os índices de roubos de veículos tanto na área da 73ª DP quanto na 74ª DP. Os criminosos usam os veículos roubados para deslocamento e praticar novos roubos”, explicou Macharet.

A Polícia Militar foi procurada e questionada se há um planejamento de patrulhamento em curso, diante dos aumentos de casos da prática criminosa. Em nota, a corporação afirmou que a estratégia de policiamento se mantém, sempre se readequando à mobilidade de atuação dos criminosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − doze =