Incentivo ao parto normal eleva procedimento em 43%

Raquel Morais

O projeto-piloto Parto Adequado, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), poderá ser expandido para 150 hospitais de todo o país. Com a ampliação deverá diminuir o número de cesarianas e quem tem a ganhar é a mãe e o bebê. No primeiro teste do projeto, a redução das intervenções cirúrgicas chegou a casa dos 10 mil procedimentos, com aumento de partos normais em 43%. Em Niterói teve hospital que aumentou em 800% o número de partos normais desde 2015, início do projeto.

É o caso do Complexo Hospitalar de Niterói (CHN), no Centro, que ingressou no programa em abril do ano passado. “Olhamos caso a caso e buscamos o parto mais adequado de acordo com as características de cada mulher e bebê. O estímulo aos partos normais está alinhado à filosofia da nossa maternidade, desde que iniciamos o projeto tivemos um aumento de 800% no número de partos normais, que representavam 4% dos nascimentos e agora são 36%.” , explicou Leonardo Nese, Coordenador do CHN Materno Infantil.

A diretora de Desenvolvimento Setorial da ANS, Martha Oliveira, explicou que em 2005 as cesarianas respondiam por 75% dos partos nos hospitais privados. Em 2015 esse número saltou para 85%. “A cesariana é uma cirurgia e, enquanto cirurgia, tem indicações, salva vidas. Mas isso estava sendo usado na saúde suplementar de forma completamente desorganizada”, reforçou.

Apesar dos incentivos a jornalista Luana Souza, de 31 anos, está no final da gestação e escolheu a cesariana para dar a luz à Giovana. “A médica foi bem flexível e me perguntou qual tipo que eu queria. Apesar de saber que a recuperação do parto normal é mais rápida e menos dolorosa, ainda assim prefiro encarar uma cesariana e seguir todas as recomendações de repouso, alimentação e remédios. Fiquei com medo daquela cena do parto normal e me permitir viver esse momento como sempre sonhei”, comentou a mamãe de primeira viagem. O marido de Luana, Erivelton Lopes, de 32 anos, concordou com a decisão escolhida da esposa. “Eu dei apoio ao que ela escolheu, pois só quem é mulher sabe o que se passa nesse momento da gestação. Agora é só esperar minha princesinha nascer para fechar bem 2016”, comentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *