Impostos encarecem mais de 50% alguns produtos de Natal

Raquel Morais

Pernil, chester, nozes, espumantes, panetone e dezenas de outros itens que vão estar presentes na mesa dos brasileiros estão com impostos federais, estaduais e municipais sobre os produtos que podem chegar a 59%. Os dados foram divulgados esta semana pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), que analisou alguns itens que compõem a ceia de Natal, os preços e os tributos embutidos.

O valor do champanhe ou espumante tem 59,49% de tributação, seguido do refrigerante, que perde 44,55%, panetone, com 34,63% e chester, peru e pernil com 29,32%. No âmbito dos presentes, os encargos também chamam atenção, como 33,80% de encargos de um telefone celular ou a árvore de Natal, com taxação de 39,23%, sem os enfeites. Artigos para ornamentação têm tributação de 48,02%. Nem o presépio escapa. A carga tributária passa dos 35.

¨A alta carga tributária, principalmente a decorrente dos tributos sobre o consumo, incidem sobre as vendas das empresas e são repassadas para o preço das mercadorias e serviços, fazendo com que o valor final fique mais caro e portanto, menos acessível ao consumidor final”, explicou João Eloi Olenike que é presidente executivo do IBPT.

O gerente do supermercado Pomar, em Icaraí, Joel Vieira, explicou que o movimento para as compras de produtos específicos da época está baixo. “Estamos abastecidos, mas os clientes estão muito receosos. Acredito que as compras vão ficar mais fortes na próxima semana”, apontou.
A aposentada Maria Aparecida Ferraz, de 62 anos, disse que esse ano terá que reinventar alguns pratos para a ceia de Natal. “Para render o bacalhau vou fazer uma salada fria com batata e cebola. O arroz de lentilha e pimentões coloridos eu vou substituir por cenoura picada e passas e assim vou mudando alguns pratos para baratear”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 4 =