Imperatriz abre o primeiro dia de desfile do Grupo Especial

Com muito luxo, referências e homenagens, a Imperatriz Leopoldinense abriu o primeiro dia de desfile do Grupo Especial, na noite de sexta-feira (22).

A escola de Ramos trouxe um enredo que homenageia o patrono da escola Luizinho Drummond, que faleceu em 2020, e o carnavalesco Arlindo Rodrigues, que conquistou os primeiros carnavais da Verde, Branco e Dourado. Aprendiz do artista plástico, a carnavalesca Rosa Magalhães teve a missão de reproduzir a obra de seu mestre.

Confira imagens do desfile:

Filha de Luizinho Drummond, a presidente Cátia Drummond falou para A Tribuna da emoção de retornar ao Grupo Especial com um enredo com tantas homenagens. “Mostrar que estamos vivos, com saúde e que a Imperatriz vem aí para arrebentar” Ela ainda complementa quando questionada sobre o pai “Ele tá aqui puxando a nossa escola”

A cantora Iza, rainha de bateria, agitou o público assim que entrou na avenida. “Estou muito feliz, estava com muita vontade voltar para cá. Da comunidade estar realizando esse sonho” disse.

Cantora Iza é a Rainha de Bateria Foto Marcelo Feitosa
Mestre-Sala e Porta-Bandeira Foto Marcelo Feitosa

A Imperatriz, no entanto, teve problemas na terceira alegoria. O carro que vinha representando “As Visões do Oriente”, tinha um tripé com um elefante de elemento cenográfico. A manobra da alegoria já foi complicada devido ao tamanho, mas o atraso a acoplagem do tripé com o carro criou um buraco no Setor 1.

Foto: Victor Andrade

Além disso, na apresentação da Comissão de Frente para os jurados, uma das bailarinas teve problema com o figurino. A saia caiu e a bailarina correu para ajustar no meio da coreografia. Uma assistente rapidamente ajustou o figurino e a Comissão voltou a se apresentar.

Foto: Marcelo Feitosa

Foto: Marcelo Feitosa

Isis Chaby, Victor Andrade e Vitor D’Ávila

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.