Imagens de santas ficam intactas após incêndio no barracão da Viradouro

Nesta quarta-feira (13) completam 13 dias do incêndio que atingiu o barracão da Unidos do Viradouro na Cidade do Samba e o presidente da agremiação, Marcelinho Calil, desabafou nas redes sociais sobre o estrago no pavilhão. O cenário de destruição, principalmente no terceiro andar, na sala da presidência e administração, foi alvo de reflexão pela direção da escola já que as imagens de Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora da Conceição e o troféu de 2019 (“…das cinzas voltar, nas cinzas vencer”) ficaram intactas.

O troféu estava em cima da mesa da diretoria e permanece intacto no meio das cinzas do grande galpão. A imagem de Nossa Senhora Aparecida estava presa em um cavalete de madeira e também ficou intacta no meio de vários objetos queimados, inclusive uma poltrona e a madeira do próprio cavalete que estava queimada. A terceira imagem, de Nossa Senhora da Conceição, dentro de um altar de madeira também não foi atingida, misteriosamente, pelas chamas. Essa terceira foi presente das ganhadeiras que deram para a escola na véspera do desfile, que fez a Viradouro ganhar o título do carnaval 2020 com o enredo “Viradouro de Alma Lavada”, assinado pelos carnavalescos Marcus Ferreira e Tarcísio Zanon.

De acordo com o desabafo do Marcelinho Calil ‘Graças a Deus, não tivemos vítimas. Desde então, temos trabalhado incansavelmente para reconstruir nossa casa que ficará à altura dessa instituição, novamente. (…) Não vou negar que é difícil ver, todos os dias, tudo do jeito que ainda está. Mas a verdadeira mensagem que quero deixar nessa postagem é de fé e confiança. Agradeço a Deus por ninguém ter se machucado e por ter grandes profissionais e amigos, sempre dispostos, como companheiros de jornada nessa reconstrução. Tudo que foi perdido podemos e vamos recuperar. Família Viradouro, temos muito a fazer! Nessa casa voltamos das cinzas, vencemos nas cinzas e com muito amor e trabalho, seguiremos. Peço que confiem em nós, mais uma vez. Não há tristeza que vá suportar a alegria de ver nossa casa arrumada novamente. Estamos em obras! Avante!’.

No dia 30 de abril o incêndio atingiu o barracão e teria começado por volta das 7h e a direção da agremiação confirmou que não tiveram vítimas. Alguns poucos funcionários que entravam para organizar as fantasias do carnaval passado e buscar tecidos para a confecção de máscaras que a escola vem doando, por conta da pandemia, desde o início de abril, perceberam que havia fogo em uma das alegorias. Tentaram apagar e acionaram imediatamente o Corpo de Bombeiros, que controlou o incêndio rapidamente. A direção da escola ainda não contabilizou os prejuízos, o que só poderá ser feito após a liberação do local pelos bombeiros.

OUTROS INCÊNDIOS

No dia 24 de julho de 2018 um incêndio destruiu o barracão da escola de samba Unidos do Porto da Pedra, no Santo Cristo. Na ocasião a agremiação estava no Grupo de Acesso do carnaval carioca e dos quatro carros alegóricos para 2019 três ficaram totalmente destruídos, incluindo o abre-alas que, por tradição, levava a imagem do tigre na Marquês do Sapucaí. Em março de 2016 um incêndio atingiu o barracão número 7 da Cidade do Samba, na Gamboa. O espaço estava vazio e nada foi atingido pelas chamas, que teriam começado em sacos de lixos. Já em fevereiro de 2011 um incêndio já tinha afetado o mesmo lugar, na Zona Portuária do Rio. Parte das alegorias e fantasias da União da Ilha do Governador, da Portela e da Grande Rio foram atingidas pelas chamas. Na época, a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) não rebaixou agremiações do Grupo Especial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + 14 =