Igreja propõe cartilha sobre dívida pública do Brasil

Wellington Serrano –

Em tempos de crise financeira, a Comissão Especial para o Ano do Laicato lançou na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) uma publicação – com círculos bíblicos e textos de estudo – intitulada: “Auditoria da Dívida Pública: vamos fazer? – Brasil: realidade de abundância e cenário de escassez”, elaborada em parceria com o movimento Auditoria Cidadã da Dívida Pública.

O Ano Nacional do Laicato foi lançado pela CNBB em novembro de 2017 e visa despertar os católicos, cristãos leigos e leigas para uma ação concreta de cidadania que possa transformar a realidade brasileira, como gesto de caridade cristã, vivenciando a “Igreja em saída” que o Papa Francisco anunciou em sua Exortação Apostólica “Alegria do Evangelho”, ainda em 2013.

Segundo o bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, este é um debate que os cristãos precisam disseminar para a sociedade. “Dentro do Ano do Laicato, esta cartilha quer ser um gesto muito concreto de nossa presença na sociedade realizando o debate da dívida pública”, defendeu.

A coordenadora do Conselho Político de Auditoria da Dívida Pública, Maria Lúcia Fattorelli, uma das autoras da cartilha, explicou como está estruturada a publicação e como se formou o sistema da dívida pública brasileira que consome anualmente cerca de 40% do orçamento público federal apenas para pagamento de juros e amortizações. Em contraposição ao orçamento da saúde e educação, que contam com cerca de 4% do orçamento cada uma.

Segundo ela, este sistema é perverso em razão de tirar os recursos das áreas sociais para assegurar os lucros do sistema financeiro. Em 2015, por exemplo, os bancos no Brasil lucraram 20% enquanto o Produto Interno Bruto teve queda de 3,8%. O sistema da dívida pública, na avaliação da especialista, transfere as riquezas do setor público para o setor privado, o que explica a grande contradição de o Brasil ser a 9ª economia do mundo, mas ostentar os piores índices de distribuição de renda e de desenvolvimento humano.

Bispo de Caçador (SC), Dom Severino Clasen afirma que é preciso mobilizar a sociedade brasileira para realização da Auditoria da Dívida Pública. “Isso é um dos legados do Ano Nacional do Laicato”, afirma o bispo, que é presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato na introdução da cartilha.

Segundo Dom Severino, o subsídio está organizado em cinco círculos bíblicos, cinco textos de estudo e cantos, e se destina à capacitação de cristãos leigos e leigas dos grupos, pastorais, movimentos, equipes e serviços das comunidades e paróquias católicas, bem como de outras igrejas cristãs e pessoas de boa vontade para que, durante os meses de agosto e setembro, possam “multiplicar esse saber com os estudantes [do ensino médio], passando de sala em sala, para que eles criem juntamente com suas mães e pais e a comunidade, nas escolas públicas e particulares, Comitês Populares pela Auditoria da Dívida Pública Brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + seis =