Igreja de Flordelis sofre êxodo de fiéis

A sede do antigo Ministério Flordelis sofreu um êxodo de fiéis depois do apontamento feito pela Polícia Civil contra a também deputada federal Flordelis como a mandante da morte do seu próprio marido. Anderson do Carmo foi morto a tiros na garagem de casa, em Pendotiba, na madrugada de 16 de junho de 2019. O nome da instituição passou a ter anexado ao nome do ministério a inscrição “Cidade do Fogo” após o filho adotivo do casal, o pastor Carlos Silva, assumir a presidência da igreja no final do ano passado. Flordelis passou a ser vice-presidência da mesma. 

“O número de fiéis diminuiu bastante. Chegavam a ser umas 1.500 pessoas. Hoje não chegam a 100. Juntou a pandemia com o assassinato e as pessoas se foram. A tendência é acabar. Agora os cultos acontecem aos sábados pela manhã e aos domingos de manhã e à noite. O banner foi retirado logo depois da morte do pastor. Ela sempre foi uma pessoa caridosa e falava com todos aqui do bairro”, contou Jucelio Carneiro de Faria, de 65 anos, comerciante vizinho a sede do ministério.

Nas mídias sociais, as últimas transmissões ao vivo datam do último domingo (23). Nos comentários, as tramas envolvendo a família Flordelis causam polêmica.

“Aproveita enquanto tem foro privilegiado. Logo seu mandato acabará e não será reeleita … E finalmente o xadrez a aguardará”, disse uma internauta.

Um outro comemorou a conclusão do caso investigado há mais de um ano.

“Deus é justiça! Deus é Deus e nada fica em culto. Não existe crime coberto por muito tempo… Deus vê tudo, os homens não veem, mas Deus não dorme. Ele é justo”, disse.

Na última segunda-feira (24) A Operação Lucas 12 – referente a um dos capítulos do livro de Lucas da Bíblia – resultou em 11 pessoas denunciadas, sendo nove com prisão decretada, sendo sete da família de Flordelis, apontada pela polícia como a mentora do crime. À exceção da deputada, que tem imunidade parlamentar, todos foram presos. Vale lembrar que dois filhos da Flordelis já estavam presos, o Flávio dos Santos (biológico) e Lucas dos Santos, adotivo.  O Partido Social Democrata (PSD), o qual Flordelis era filiada, emitiu uma nota sobre a sua suspensão e futura expulsão da legenda. O  pronunciamento  foi assinado pelo presidente do partido, Gilberto Kassab.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + doze =