Huap lança edital para contratar 241 profissionais temporários

hospital planeja dobrar o número de leitos, ou seja, reabrir os 160 que estão inutilizados devido ao déficit de funcionários. A contratação acontecerá via Processo Seletivo Simplificado (PSS), por meio de uma prova de conhecimentos específicos regida pelo edital lançado na última terça-feira (20). Na mesma data em que foi oficializado o PSS no Diário Oficial da União, 31 de agosto, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) lançou o edital do concurso público para efetivação de funcionários dispondo de 259 vagas para reduzir o déficit na área médica, assistencial e administrativa. Além das contratações, o Huap está investindo na construção de um novo ambulatório que será inaugurado em janeiro de 2017.

De acordo com o Superintendente do Huap e professor do hospital Tarcísio Rivello, o concurso ainda não vai suprir totalmente a demanda do hospital, mas complementará o quadro funcional até que a contratação temporária expire e seja feito um novo concurso para entrar em vigor em 2018. “Assim que os funcionários da contratação temporária se desligaremdo hospital, já haverá um novo concurso em andamento para preencher as vacâncias e, finalmente, atender totalmente a carência de profissionais”, esclarece.

O processo de entendimento com o MEC durou seis meses e um dos entraves foi a determinação da União de que as novas contratações se desse exclusivamente via concurso organizado pela Ebserh. Segundo o vice-reitor da UFF, Antônio Cláudio Lucas da Nóbrega, foi um período complicado, já que a negociação ocorreu em meio ao processo de impeachment. “Para que as vagas fossem concedidas via contratação temporária, tivemos que argumentar sobre a urgência de profissionais na unidade e ressaltar a importância do processo para suprir a demanda do hospital enquanto a Ebserh não lançava o concurso”, esclarece.

Nóbrega declarou ainda que além da argumentação com parlamentares, ministros e secretários, foi necessário o trabalho de uma equipe jurídica para agilizar os trâmites. O argumento que sustentou a negociação teve como base a Lei Nº 8.745/93, que permite a contratação temporária em órgãos públicos, caso seja para “assistência a emergências em saúde pública”. “Para chegarmos a um acordo, foi necessário irmos a Brasília pelo menos oito vezes”, ressalta.

O reitor da universidade, Sidney Mello, aponta para os ganhos que serão obtidos por meio da contratação. “Uma vitória para a UFF, em particular para aqueles que querem ver o Huap com força total. O benefício direto dessas contratações será a ampliação de leitos e a retomada de serviços importantes, inclusive acompanhando melhorias em equipamentos, pessoal e tecnologia. Além disso, o novo ambulatório logo estará pronto, o que trará para todos um espaço de trabalho, serviço e atendimento à altura de um Hospital Universitário como o Huap”, orgulha-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =