Hospital quer elevar em 480% os atendimentos de emergência em Niterói

Raquel Morais –

No último dia 17 o Niterói D’Or, em Icaraí, expandiu o serviço na cidade e inaugurou um novo empreendimento de saúde na Zona Sul. Com investimento de R$ 200 milhões, a ampliação da unidade ocupa 42 mil metros quadrados, divididos em duas torres (uma com 16 andares e outra com 12 andares). O novo hospital fica na esquina das ruas Mariz e Barros e Santa Rosa e possui 340 leitos, sendo referência do grupo em todo o país, com geração total de 3 mil empregos.

Os números são realmente surpreendentes: são 95 leitos de CTI, sendo 30 desses classificados como ‘vips’, que possuem uma sala e banheiro privativo para os acompanhantes, que podem ficar 24 horas com o paciente. Além disso, todos os leitos de CTI são monitorados por câmeras pela equipe médica. A ideia da administração do hospital é aumentar o atendimento dos atuais 2,5 mil mensais para 12 mil somente na emergência.

De acordo com informações da Rede D’Or, o Centro Cirúrgico é composto por dez amplas salas, algumas delas “inteligentes”, com equipamentos de última geração. Há também um setor de exames de imagem com Tomografia Computadorizada de 512 canais (uma das únicas duas existentes no Estado), Ressonância Magnética de 1,5 Tesla, Ultrassonografia, Ecocardiografia e Endoscopia digestiva, dentre outros, que atenderão pacientes internados e também externos. O Centro Médico, outra novidade, reúne consultórios para atendimento em diversas especialidades.

O diretor geral, Ricardo Reis, explicou que para 2020 a unidade pretende expandir os atendimentos com a criação de uma ala de Oncologia. Outro plano da direção é fazer da primeira unidade, que é conhecida como o ‘Niteroizinho’, um ponto de atendimento para Pediatria e também maternidade. “Temos muitos diferenciais de atendimento e queremos oferecer um serviço de alta qualidade na cidade. Trabalhamos com um atendimento de emergência muito eficaz inspirado nas corridas de Fórmula 1, onde o paciente só anda para frente e vai avançando no atendimento. O paciente não fica procurando o médico e sim o contrário. Com isso a gente consegue otimizar o paciente. Nossa média para atendimentos leves e médios é de 20 minutos e para pacientes graves nem existe tempo de espera”, comentou o diretor.

Os dois hospitais são interligados e a ideia é montar um grande complexo hospitalar na região. Além dos atendimentos de urgência, emergência e internações também vamos oferecer atendimentos ambulatoriais. Consultas em todas as especialidades poderão ser marcadas e os atendimentos serão feitos na unidade nova, como por exemplo, cardiologista, clínico geral, dermatologista; além de exames.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *