Hospital promove curso de capacitação para profissionais da área médica

Dando prosseguimento ao calendário de cursos e palestras, o Centro de Estudos e Pesquisas do Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, realizou esta semana o curso de Capacitação no Diagnóstico de Morte Encefálica para médicos e residentes do Centro de Trauma, emergência e dos Centros de Tratamento Intensivo (CTIs). No encontro, foram abordados casos clínicos, dúvidas foram discutidas e informações foram trocadas.

O diagnóstico de morte encefálica é norteado por resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), que foi modificada no final de 2017 e, entre as mudanças, passou a permitir que médicos de diversas especialidades, além de neurologistas, pudessem atestar o óbito. A resolução prevê, ainda, que os procedimentos para a determinação da morte encefálica devem ser iniciados em todos os pacientes que apresentem coma não perceptivo, ausência de reatividade supraespinhal e apneia persistente.

O hospital destaca como objetivo principal do curso a promoção de treinamento específico para a determinação da morte encefálica, conforme normas do Conselho Federal de Medicina (CFM).Os coordenadores da área médica da unidade ressaltam a importância dessa capacitação para o aumento do número de profissionais habilitados a determinar a ME e, consequentemente, promover a qualidade, segurança e esclarecimentos das famílias sobre todo o processo. 

Médicos e residentes disseram que o curso foi de grande valia para o aprimoramento pessoal e troca de experiências. “O encontro apresentou e cumpriu os novos critérios. O curso veio para sanar as dúvidas que surgem na nossa rotina diária”, garantiram.  

O Hospital Estadual Alberto Torres, administrado pelo Instituto de Desenvolvimento, Ensino e Assistência à Saúde (Ideas) em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), está entre as primeiras unidades do estado do Rio em captação de órgãos e tecidos. O Heat é uma unidade de urgência e emergência, especializado no socorro a pacientes com múltiplos traumas. Nos primeiros seis meses deste ano, a unidade atendeu cerca de 54 mil pacientes.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 5 =