Hospital de Maricá deve ser inaugurado em maio

O novo Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, em construção às margens da RJ-106, em São José do Imbassaí, só deve ficar pronto durante o aniversário de 205 anos de emancipação político administrativa de Maricá, no dia 26 de maio. A informação é de fontes que dizem que o prefeito Fabiano Horta (PT) acompanha a fase final de acabamentos na estrutura e torce para que isso aconteça. A unidade está em operação e passa pela fase obrigatória de adequação de todos os sistemas e modelos de atendimento junto ao Ministério da Saúde.

“O processo vai conferir a certificação necessária para que os atendimentos ocorram dentro da regulamentação do Sistema Único de Saúde (SUS), o que tornará a unidade sustentável”, afirmou a prefeitura em nota.

O novo hospital começou a sair do chão em outubro de 2015, quando foi anunciado um investimento de quase R$ 40 milhões apenas na primeira fase. A previsão no início era de que as obras estariam concluídas no segundo semestre de 2016.

Segundo a Prefeitura, o hospital terá um moderno setor de pronto atendimento 24h para politraumatizados e pacientes referenciados da rede. A unidade vai contar com clínicos gerais, cirurgiões gerais, pediatras, anestesistas, ortopedistas e especialistas de sobreaviso (urologia, cardiologia, vascular, bucomaxilofacial, neurologia, infectologia).

O projeto prevê que o Centro Cirúrgico terá três salas de cirurgia de grande porte e uma sala de cirurgia de médio porte e a unidade contará também com dois Centros de Tratamento Intensivo (CTI), adulto e infantil. Um parque de medicina diagnóstica com Imagenologia, laboratório de análises clínicas e central de material esterilizado também estão cotados para a unidade.

Na área de enfermarias, o Che Guevara terá sete enfermarias femininas e sete masculinas de clínica médica, emergência clínica pediátrica, isolamentos pediátricos e salas de observação. Todas as unidades contam com serviços de apoio em psicologia, serviço social, fisioterapia e nutrologia, assim como outros setores que participam da assistência indireta.

O projeto contempla ainda refeitório com 192 lugares, auditório com 72 lugares e salas de administração. Ainda de acordo com o Executivo, todo o hospital será informatizado e o software específico já contratado está em fase de implantação no município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 15 =