Hospital de Campanha de SG ainda sem previsão de abertura

Até a manhã de segunda-feira (18), a Secretaria Estadual de Saúde (SES) ainda não havia se pronunciado e definido a nova para conclusão das obras e inauguração do Hospital de Campanha de São Gonçalo, para pacientes de coronavírus, já que no último domingo (17) mais uma vez o cronograma foi adiado. “A Secretaria de Estado de Saúde informa que irá anunciar um cronograma para abertura dos hospitais de campanha em breve”.

Havia grande expectativa para a inauguração, que acabou sendo adiada, e na manhã de domingo ainda haviam operários trabalhando no local, montando uma estrutura metálica do telhado do hospital, que ainda está em processo de conclusão, no campo de futebol do Clube Mauá, no bairro Estrela do Norte, com previsão para 200 leitos, sendo 40 UTIs. As obras do hospital começaram no dia 8 de abril, mas a previsão de inauguração para início do mês de maio foi adiada mais de duas vezes.

Na sexta-feira, funcionários do Hospital de Campanha do Maracanã disseram que 20 ventiladores respiratórios foram retirados daquela unidade hospitalar para o Hospital de Campanha de São Gonçalo, o que levou os pacientes a serem entubados em aparelhos mais antigos. A SES afirmou na ocasião que iria apurar o caso e em caso de confirmação, notificaria a Organização Social Iabas, contratada para administrar a unidade do Maracanã. A inauguração do Hospital de Campanha de São Gonçalo seria uma das iniciativas para conter parte da demanda de internação para pacientes com Covid-19 no estado.

A OS Iabas foi citada na quinta-feira passada em uma operação do Ministério Público Federal (MPF) que investiga esquemas de desvio de verbas na Saúde do Rio, questionamentos que também teriam levado a demissão do então secretário de Saúde do estado, Edmar Santos, no último fim de semana.

A OS alegou que o segundo atraso registrado no fim de semana em São Gonçalo, terá ocorrido por conta da chuva e que haveria necessidade de pavimentação de ruas de acesso à unidade de campanha. Além disso surgiu ainda outra alegação, que seria a troca de tiros entre criminosos região, o que teria levado operários a buscarem abrigo, gerando atraso no cronograma. A comunidades mais próximas do Hospital de Campanha são os morros da Chumbada e Menino de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × um =