Hospital de Campanha de São Gonçalo será inaugurado dia 15 de maio, Câmara aprova Moção de Repúdio pelo atraso

O secretário Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, durante entrevistas hoje (6), informou que a inauguração do Hospital de Campanha de São Gonçalo, para atender pacientes infectados pelo novo coronavírus, será na sexta-feira (15). A unidade, que começou a ser construída no início do mês de abril, no campo de futebol do Clube Mauá, no bairro Estrela do Norte e tinha a previsão de ser inaugurada na primeira semana deste mês, não teve o motivo do atraso explicado.

Segundo o secretário, nesta semana a previsão é que seja inaugurado o Hospital de Campanha do Maracanã e na outra semana será a vez do de São Gonçalo. “Os funcionários estão fazendo o possível para que a obra seja concluída no prazo combinado. O hospital terá capacidade para abrigar 200 leitos, sendo 40 destes destinados à Unidade de Terapia Intensiva (UTI)”, informou o secretário.

Até meados de abril as obras para a construção do hospital de campanha no Clube Mauá, estavam a todo vapor com a previsão de inauguração no fim do mês passado. No entanto, na última semana, por não existir nenhuma movimentação de obras no local os opositores do prefeito José Luiz Nanci (Cidadania) estiveram no local para criticar a demora.

Caso do ex-prefeito Ricardo Pericar (PSL) que, segundo a Prefeitura de São Gonçalo entrou escondido no local. Segundo ele, o espaço já deveria estar pronto. “São Gonçalo já podia estar com dois hospitais funcionando por muito menos do que custou o do clube Mauá. Por R$ 8 milhões teria o hospital de Neves pronto em 15 dias e por R$ 8 milhões o hospital do bairro Vila Três. No entanto, por R$ 90 milhões os prefeitos: de Maricá, Fabiano Horta (PT), de Niterói, Rodrigo Neves (PDT) e o próprio de São Gonçalo, o Nanci, jogaram a verba para o governador Wilson Witzel (PSC), que teve até que afastar seu sub-secretário de Saúde, que estava escondendo as licitações”, salientou Pericar.

Segundo o Governo do Estado, as obras estão mesmo sendo realizadas com verbas dos municípios de Niterói e Maricá, doadas ao Fundo de Saúde do Governo do Estado. A iniciativa foi fruto de um apelo do governador Wilson Witzel para ambas as cidades. Além dessa unidade, São Gonçalo conta ainda com outros 3 pontos de atendimentos para pacientes com o Covid-19. Entre eles há o Centro de Triagem, no bairro Zé Garoto, uma clínica especializada no bairro de Vista Alegre e o Hospital Luiz Palmier, no centro da cidade, que foi preparado para ser o de referência na cidade.

Outro que também foi impedido de entrar no Clube Mauá para vistoriar o Hospital de Campanha para foi o deputado estadual Coronel Salema (PSL). Após insistência ele conseguiu realizar a fiscalização, no início da tarde de ontem (6) e disse que preparou um ofício solicitando informações ao Governo do Estado.


“A informação da Secretaria de Estado de Saúde é de que o local seria entregue no início de maio, mas, a dois dias de completar um mês, a obra ainda parece estar longe de ser concluída. Retornarei em uma semana para fazer uma comparação e analisar o andamento da obra”, declarou o coronel Salema.

MOÇÃO DE REPÚDIO — A Câmara dos Vereadores de São Gonçalo aprovou nesta quarta-feira (6) uma Moção de Repúdio contra o governador Wilson Witzel (PSC) devido ao descaso e atraso da inauguração do Hospital de Campanha no Clube Mauá. Foram 17 votos favoráveis dos seguintes vereadores: Alexandre Gomes (autor); Bruno Porto; Cici Maldonado; Eli; Getúlio; Mariola; José Carlos Vicente (PSL); Lecinho; Lucas Muniz; Paulo César; Diney Marins; Salvador; Vinicius; Mizael; Fael; Samuca e Professor Paulo.

A Moção de Repúdio foi aprovada agora à noite pela Câmara dos Vereadores

Segundo o vereador Alexandre Gomes, o governador não está nem aí para os casos expressivos de contaminação em São Gonçalo. “A gente só vê o esqueleto do hospital no local sem nenhum movimento de equipamentos, de estação de energia, de respiradores, tão pouco algum movimento de inauguração. O governador vai esperar perder quantas vidas para dar prioridade para a inauguração do nosso hospital?”, indagou o vereador.

Cidade tem 38 óbitos pelo Covid-19

De acordo com o boletim atualizado da Secretaria Municipal de Saúde, São Gonçalo registrou mais um óbito em decorrência do novo Coronavírus (Covid-19), ontem (6), chegando a 38 no total. A vítima é uma mulher, 56 anos, moradora do Porto do Rosa. Ao todo, o município contabiliza 3840 casos suspeitos, 349 confirmados, 424 descartados, 49 curados e 38 óbitos. O Rocha é o bairro que apresenta maior número de infectados, com 14 no total.

Os óbitos são: Mulher, 56 anos, Porto do Rosa; Homem, 45 anos, Coelho; Homem, 26 anos, Porto Velho; Homem, 80 anos, Maria Paula; Homem, 38 anos, Barracão; Homem, 48 anos, Porto do Rosa; Mulher, 64 anos, Parada 40

Mulher, 82 anos, bairro a confirmar; Mulher, 72 anos, bairro a confirmar

Homem, 50 anos, Maria Paula; Mulher, 65 anos, Jardim Catarina; Mulher, 91 anos, Centro; Mulher, 57 anos, Tenente Jardim; Homem, 68 anos, Mutondo;

Homem, 86 anos, Lagoinha; Homem, 81 anos, Boa Vista; Homem, 28 anos, bairro a confirmar; Mulher, 61 anos, Porto Novo; Mulher, 89 anos, Porto da Pedra; Mulher, 56 anos, Itaúna; Mulher, 74 anos, Pita; Mulher, 66 anos, Itaúna; Homem, 60 anos, Neves; Homem, 46 anos, Ipiíba; Homem, 89 anos, Colubandê; Homem, 78 anos, Jardim Catarina; Mulher, 37 anos, Porto Novo; Homem, 77 anos, Santa Isabel; Homem, 74 anos, Centro; Homem, 60 anos, Porto Novo; Mulher, 83 anos, Amendoeira; Homem, 73 anos, Trindade; Mulher, 81 anos, Neves; Homem, 71 anos, Porto Velho; Mulher, 74 anos, Colubandê; Homem, 62 anos, Santa Isabel; Homem, 68 anos, Coelho; Mulher, 58 anos, Coelho.

Teste rápido — O Hospital Luiz Palmier recebeu ontem os primeiros testes rápidos. O principal objetivo do exame na unidade é agilizar o diagnóstico do novo coronavírus e evitar o contágio. A testagem também está sendo realizada em outras unidades do município, mas seguindo um cronograma preestabelecido pela Secretaria de Saúde. Neste momento, a prioridade é realizar os testes nos funcionários da área da saúde, que estão na linha de frente, e nos pacientes que apresentam sintomas mais graves da doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − cinco =