Hospital cobra verba de Rio Bonito, Executivo diz que já pagou débitos

Marcelo Almeida

O Hospital Regional Darcy Vargas (HRDV), única unidade de saúde capaz de receber pacientes com Covid-19 em Rio Bonito, enviou um ofício na última segunda-feira (8) para a prefeitura da cidade pedindo a suspensão do convênio que tem com o governo municipal. O documento cobra do município repasses referentes aos meses de janeiro e fevereiro deste ano, que ainda não teriam sido liquidados. Caso o pagamento não seja feito em 24 horas, a unidade aponta a possibilidade solicitar a transferência dos pacientes da cidade que estão internados.

Em nota, a prefeitura de Rio Bonito informou que desconhece a existência de débitos pendentes com o Hospital Darcy Vargas e que o ofício enviado pela unidade de saúde pede, na verdade, é uma “antecipação de um valor do contrato que passou a vigorar no dia 1º de Março de 2021” e que “tal pagamento por força de contrato deve ocorrer após prestação do serviço de internação, no final do mês”, afirma trecho da nota.

A administração do prefeito Leandro Peixe (Republicanos), eleito ano passado, aponta que em menos de três meses de governo conseguiu quitar toda a dívida deixada pela gestão anterior. Afirma ainda que a prefeitura compreende a dificuldade administrativa pela qual o HRDV passa e, para tanto, segue à procura de uma solução dentro do fluxo da legalidade.

Em janeiro deste ano, Peixe assinou a liberação dos pagamentos referentes aos serviços prestados em dezembro de 2020 pelo Darcy Vargas e que durante o exercício de 2020 foi destinado o valor de mais de R$ 44,2 milhões em recursos para a unidade. Segundo uma tabela de pagamento enviada pela prefeitura, desde janeiro deste ano já foram repassados para o hospital, seja por recursos da prefeitura ou por meio de emendas parlamentares, cerca de R$ 6,5 milhões para a unidade.

Segundo o Boletim Coronavírus divulgado ontem (9) pela secretaria municipal de Saúde da cidade, Rio Bonito tem 14.888 casos notificados de Covid-19, sendo 4.704 confirmados e 118 óbitos.

O Hospital Regional Darcy Vargas não é público, mas pertence a uma entidade filantrópica fundada em 1943, e é administrado por uma diretoria eleita em assembleia e fiscalizada por um conselho deliberativo e fiscal, ambos sem remuneração ou benefícios. Membros da direção do Hospital não atenderam e não retornaram as ligações da reportagem.

Problemas não são novidade

Em janeiro deste ano, o prefeito Leandro Peixe se reuniu com uma comitiva da Secretaria Estadual de Saúde, incluindo o secretário Carlos Chaves, do presidente do Conselho Municipal de Saúde, José Balbino, e o presidente do Hospital Regional Darcy Vargas, José Borges.

Na ocasião, Peixe pediu lembrou que nos primeiros dias de seu governo pagou quase R$2 milhões em dívidas da gestão anterior, reafirmando que foi eleito para ser gestor e arrumar a casa “doa a quem doer”. Em seguida reclamou da falta de atenção da unidade para alguns casos.

“Recentemente um pai apareceu aqui na Prefeitura, com seu filho de 11 anos de idade, pedindo socorro porque o hospital negou atendimento ao menino que estava com caco de vidro no pé. Precisamos acabar com este jogo político, onde quem mais sofre é a população”, afirmou o prefeito.

Presente na reunião, o secretário Estadual de Saúde, Carlos Chaves, destacou a importância da parceria da Prefeitura com o Hospital Darcy Vargas, e que o desejo principal é solucionar os problemas da Saúde Pública regional. “Não é justo um cidadão se deslocar de Rio Bonito para ser atendido no Rio de Janeiro. Negar atendimento é omissão de socorro, é crime”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 1 =