Hospital alerta pacientes sobre golpe por telefone

Anderson Carvalho –

Os familiares dos pacientes do Niterói D’Or, no bairro de Santa Rosa, estão recebendo no momento da internação um comunicado de prevenção a golpes telefônicos. Estes consistem em uma ligação para o quarto do paciente ou o telefone dos parentes, fazendo-se passar pelo médico assistente ou funcionário do hospital, alegando necessidade da realização de exames e procedimentos não cobertos pelo plano. Outra abordagem é alegar que é preciso mudar a medicação porque “foi descoberto um câncer durante a cirurgia já realizada” ou “O tratamento atual necessita de outros medicamentos”.

Segundo o comunicado, no momento da ligação, o criminoso solicita que seja feito um depósito em conta bancária para que o exame e o procedimento possam ser realizados ou o remédio, comprado. “A rede D’Or não pratica nenhum tipo de cobrança por telefone (existem áreas específicas para tratar dessas demandas) e não solicita depósitos de qualquer espécie, seja em nome do próprio hospital ou para terceiros. Qualquer dúvida sobre aquisição de medicamentos ou realização de exames/procedimentos, deve ser esclarecida apenas com seu médico, pessoalmente!”, avisa a instituição.

A rede ainda orienta os familiares como se proteger: “Por respeitarmos a individualidade dos nossos pacientes, todos os quartos recebem ligações externas que não são monitoradas pela instituição. Portanto, solicitamos que você (paciente), seus familiares e visitantes fiquem atentos à ligações telefônicas recebidas no quarto ou em seus telefones particulares, pois elas podem gerar desconforto e/ou prejuízos financeiros”. O hospital recomenda que os parentes não informem os dados pessoais por telefone e se receberem uma ligação do tipo falem com o médico pessoal ou a equipe médica da unidade.

Procurada, a rede negou que tenha havido caso de golpes na unidade de Niterói ou qualquer outra da rede e que situações similares ocorrem em diversas unidades públicas e privadas. O comunicado foi apenas preventivo.

Procurado, o Hospital Universitário Antônio Pedro também negou existência de casos do gênero. Não há registro também na rede pública municipal de Niterói.

O golpe é antigo. No ano passado, o Hospital Icaraí também distribuiu comunicado similar aos parentes dos pacientes no ato da internação. Em 2013, o hospital Quinta D’Or, na Zona Norte do Rio, fez o mesmo alerta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × dois =