Horário de verão vai deixar saudade nos niteroienses

Geovanne Mendes

Dias mais longos, noites mais curtas e uma economia que o consumidor sente diretamente no bolso. Assim pode ser resumida a 41ª edição do horário de verão, que termina no próximo dia 19 em 10 estados brasileiros que adotam a medida, incluindo o Estado do Rio de Janeiro.

Apaixonada pelo horário de verão, a aposentada Laís Célia Pereira, de 75 anos, aproveita essa época do ano para curtir o dia na orla de Icaraí, onde mora há 20 anos. A aposentada fica até as 20h conversando com as amigas e fazendo palavra cruzada.

“Eu adoro isso aqui no horário de verão porque a noite chega e ainda está claro e cheio de gente. Aí aproveito pra fofocar com as amigas e fazer as minhas palavras cruzadas. Uma pena que já vai terminar na semana que vem”, lamentou.

Quem também aproveita a horinha a mais no relógio é o vendedor de picolés Guilherme de Oliveira, 29 anos, que há 10 anos vê as suas vendas dobrarem neste período.

“Eu vendo muito picolé nesta época de de horário de verão. Durante o ano eu vendo 200 picolés por dia e com a noite demorando a ir embora eu chego a vender 400 picolés por dia. Sustento meus três filhos com esse dinheiro e este aumento nas vendas devido ao horário de verão só me ajuda”, comemorou.

Economia de Luz
O horário de verão é adotado pelo Distrito Federal e pelos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. A medida afeta principalmente o consumo de energia no horário de pico, entre 18h e 21h. Na temporada passada, entre o fim de 2015 e o início de 2016, a adoção do horário de verão reduziu a demanda por eletricidade em 2,6 mil megawatts(MW), ou 4,5% do consumo médio dessas três regiões.

A queda no consumo permitiu ao país poupar água dos reservatórios de hidrelétricas. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o Brasil também economizou R$ 162 milhões ao reduzir a necessidade de uso das usinas termelétricas, que têm energia mais cara. O horário de Verão é regulado atualmente pelo Decreto 6.558, de 8 de setembro de 2008, que diz, em seu Art. 1º, que será adotado “a partir de zero hora do terceiro domingo do mês de outubro de cada ano, até zero hora do terceiro domingo do mês de fevereiro do ano subsequente”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − 5 =