Homicídio doloso registra o menor número de vítimas em todo estado

Os homicídios dolosos no Rio caíram 21% nos dez primeiros meses de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado, o que representa 884 mortes a menos. De janeiro a outubro deste ano, foram registradas 3.342 vítimas, contra 4.226 em 2018. Esse é o menor número de vítimas para o acumulado do ano desde 1991.

Na comparação entre os meses de outubro, a redução foi de 17% (317 em 2019 e 383 em 2018), com o segundo menor número de vítimas para o mês desde 1991. O menor da série histórica foi em outubro de 2012, com 314 mortes. O indicador estratégico crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte) também segue a tendência de queda: diminuição de 18% em relação outubro de 2018 (71 vítimas a menos) e de 22% em comparação com o acumulado do ano (952 mortes a menos). O índice de roubos seguidos de morte (latrocínio) registrou declínio de 36% nos dez primeiros meses de 2019, quando comparado com o mesmo período do ano passado. O número de vítimas ficou em 95 no acumulado do ano, o menor para o período desde 1991. Em outubro foram registradas quatro vítimas, o menor número para o mês de outubro desde 1998.

Em outubro, as mortes por intervenção de agente do Estado diminuíram 6% em relação a setembro e caem pelo terceiro mês seguido: 194 casos em julho, 170 em agosto, 153 em setembro e 144 em outubro deste ano. Na comparação com outubro de 2018, houve aumento de 13%. Em outubro, os roubos de veículo diminuíram 29% em relação ao mesmo mês do ano passado. Foram 3.027 ocorrências. No acumulado do ano, a redução foi de 24%, o menor para o período desde 2017. Os roubos de rua (roubo a transeunte, roubo em coletivo e roubo de aparelho celular) caíram 15% em outubro na comparação com outubro de 2018, sendo 1.721 casos a menos. No acumulado do ano, também houve queda: 6%.

Já os roubos de carga reduziram 11% em outubro, em relação ao mesmo período de 2018, o menor índice para o mês desde 2015. No acumulado do ano, a queda foi de 18%, ou 1.344 casos a menos. Até outubro, as polícias Civil e Militar apreenderam 7.215 armas de fogo, o que significa que, em média, 24 armas são retiradas das ruas por dia. Do total, 468 foram fuzis – ou seja, mais de um armamento desse tipo apreendido a cada dia no estado – maior número recolhido no período nos últimos 12 anos.

Comparação trimestral:

São Gonçalo se destaca

Quatro Áreas Integradas de Segurança Pública (AISP) apareceram como destaques no estado na comparação entre agosto e outubro de 2019 com o mesmo trimestre do ano passado. Na Baixada Fluminense, a AISP 20 (Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis) apresentou o maior recuo nos homicídios dolosos. Já o município de São Gonçalo (AISP 7) registrou a maior redução no roubo de rua, a segunda maior diminuição no roubo de carga e a terceira maior queda em roubo de veículos.

Na capital, a maior diminuição no roubo de carga ocorreu na AISP 16 (Olaria e adjacências) e, na AISP 41 (Irajá e adjacências), onde foram registrados os maiores recuos de morte por intervenção de agente do Estado e de roubo de veículos. Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) são referentes aos Registros de Ocorrência (ROs) lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Rio durante o mês de outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *