Homem testa positivo 43 vezes para Covid-19

Um instrutor de autoescola e músico de 72 anos, testou positivo para a Covid-19 pela primeira vez em março de 2020. Desde então o britânico Dave Smith, passou 290 dias com o resultado do exame dando positivo. Ele disse que seu sistema imunológico estava enfraquecido já que estava fazendo quimioterapia para tratar uma leucemia.

Dave afirma que, nesses dez meses com a Covid-19, foi parar no hospital sete vezes. Ele conta ter perdido 63 kg durante o tempo em que teve a doença. “Uma vez eu tossi por 5 horas sem parar. Não falo de tossir, parar, tossir, parar. Mas de tossir, tossir e tossir sem parar, por 5 horas. Consegue imaginar o cansaço que isso causa ao seu corpo?”, relata.

O britânico se despediu da família porque acreditou que não sobreviveria. “Fiquei resignado. Liguei para minha família, fiz as pazes com todos e me despedi. Fiz uma lista com as músicas que queria que tocassem em meu velório”, diz ele.

A melhora só veio ao fim de 10 meses de sofrimento. Dave foi tratado com um coquetel de remédios antivirais cedidos pela empresa americana Regeneron. Quando recebeu a ligação de que havia testado negativo, ele não acreditou.

Não é possível, no entanto, afirmar que foi o coquetel de remédios o responsável pela melhora de Dave. Ed Moran, médico do Southmed Hospital, onde Dave se tratou, diz que a única maneira de ter certeza disso é através de um estudo adequado.

Cientistas da Universidade de Bristol agora estudam o caso de Dave para tentar entender como o coronavírus se comporta. A ideia é descobrir como o vírus se esconde e sofre mutações no corpo humano, e como ele consegue infectar uma pessoa de forma persistente.

Agora curado, Dave diz ser um homem milagroso. “É como se tivessem me dado minha vida de novo. Você pensa: ‘o que eu posso fazer com essa vida?’ Estou próximo dos 73 anos, mas talvez ainda tenha algo de bom sobrando em mim.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 11 =