Homem é morto após roubo em loja de departamentos no Fonseca

Geovanne Mendes –

O pânico tomou conta de motoristas e moradores do Fonseca, zona norte da cidade, na tarde desta terça-feira (01). Por volta das 16h10min, policiais militares do 12º BPM (Niterói) trocaram tiros com bandidos armados com pistola durante um assalto realizado na filial das Lojas Americanas, próxima ao Horto, na Alameda São Boaventura. Durante a fuga, um suspeito foi morto com um tiro na cabeça cerca de 500 metros depois, em frente a uma drogaria lotada e com dezenas de pessoas na calçada, levando desespero para quem viu a cena.

“Meu pai do céu, estou tremendo até agora. Que cena horrível, ele tomou um tiro na minha frente, fiquei em choque. Meu Deus, preciso ir embora desta cidade horrível e violenta. Cadê a segurança? E se o tiro me atingisse? São perguntas que vou me fazer até o fim dos meus dias”, contou uma moradora do Fonseca que saía da drogaria no momento da confusão e está em estado de choque.

De acordo com os PMs, o suspeito, que era da Mangueira, no Rio, fazia parte de um grupo de cinco bandidos no assalto à loja. O suspeito e mais dois comparsas teriam invadido o estabelecimento e levado alguns celulares de funcionários e uma quantia em dinheiro, que não foi confirmada pela gerência do estabelecimento, enquanto um carro branco fazia a cobertura estacionado em frente a drogaria, onde houve o tiroteio.

“Ele e outros dois assaltaram a loja, na saída ele seguia para um carro, um Siena branco, que estava na porta da drogaria. Foi quando nós fomos abortados por um cliente da loja que nos parou e seguimos imediatamente para tentar interceptar os bandidos. De repente a nossa viatura foi recebia a tiros e revidamos, atingindo o meliante. Os companheiros do carro branco seguiram em direção ao Caramujo e os outros dois que realizaram o assalto fugiram em uma moto XRE de cor verde, em direção a Rua Desembargador Lima Castro”, conta o PM do Patamo do Caramujo que realizou a ação e estava em patrulhamento pela via no momento do assalto.

Com medo de ser um arrastão, a vendedora de uma loja de móveis próxima ao local disse que correu para fechar as portas, pois temia ser feita de refém pelos bandidos.

“Gente eu vi a correria e fiquei com medo de bala perdida e também deles entrarem aqui e nos fazer de refém. A situação está terrível, precisamos mudar isso. Chegamos no fim do poço”, comenta a vendedora.

Os agentes da Divisão de Homicídios de Niterói foram até o local para realizar a perícia criminal e realizaram a liberação do corpo do suspeito para o IML.

O trânsito sofreu reflexo imediato e um extenso congestionamento fez com que o motorista levasse cerca de uma hora para percorrer três quilômetros. Em pânico, os funcionários da loja assaltada não tiveram condições de avaliar o valor do prejuízo. O gerente informou que já cedeu as imagens das câmeras de monitoramento interno do estabelecimento à polícia. O caso foi encaminhado para a 78ª DP (Fonseca).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − 2 =