Homem é morto a tiros dentro de casa em Maricá

A região de Ponta Negra, em Maricá, amanheceu, nesta quarta-feira (23), apavorada com um crime envolto de mistério. Um homem foi morto a tiros, durante a madrugada, em uma casa. O que surpreendeu os agentes foi o fato de o imóvel não ter apresentado sinais de arrombamento. O caso aconteceu por volta das 4h e policiais militares foram os primeiros a chegar ao local.

De acordo com os agentes, após o acionamento uma equipe foi mobilizada ao imóvel, localizado na Rua Cento e Cinquenta e Sete. Os policiais confirmaram a ocorrência. Policiais civis da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG) foram chamados para realizar a perícia no local do crime.

De acordo com dados preliminares da equipe de perícia, o cadáver estava com várias perfurações de tiro espalhadas pelo corpo. Aos policiais, familiares da vítima, que estavam na residência, relataram que não escutaram o som dos disparos e que encontraram a vítima, de 45 anos, ferida. O socorro médico chegou a ser acionado, mas o homem morreu antes que recebesse atendimento.

Além disso, os policiais civis contataram que a casa não tinha sinais de arrombamento. Além disso, cinco cachorros que vivem no local não teriam latido com a chegada do assassino. A polícia ainda não sabe quantos criminosos invadiram a casa ou a eventual motivação do crime. Diligências estão sendo realizadas em busca de pistas.

Ainda segundo a polícia, parentes da vítima relataram que a família é do Rio de Janeiro, mas que possui a casa de veraneio em Ponta Negra há cerca de 20 anos. Os policiais deverão, nos próximos dias, intimar as pessoas que estavam na casa a prestar depoimento na Delegacia de Homicídios.

Após a perícia, o corpo foi removido ao Instituto Médico Legal (IML) de Niterói, que fica no bairro do Barreto, Zona Norte da cidade. Até o fechamento deste texto, informações sobre velório e sepultamento não tinham sido divulgadas. A investigação será conduzida pela DHNSG, que buscará identificar a autoria e motivação do crime.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.